PERFIL ELETROFORÉTICO DO PROTEINOGRAMA DO LÃ?QUIDO PERITONIAL DE EQÃœINOS COM OBSTRUÇÃO EXPERIMENTAL DO CÓLON MENOR

Autores

  • Carlos Henrique Camara Saquetti
  • Rafael Resende Faleiros
  • Delphim da Graça Macoris
  • José Jurandir Fagliari
  • Suedney de Lima Silva

Palavras-chave:

agudo, fase, proteína, equino

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar as alterações do proteinograma do líquido peritonial de eqüinos submetidos à isquemia e reperfusão do cólon menor por distensão intraluminal. Para isso utilizou-se 10 animais submetidos à laparotomia pelo flanco, em posição quadrupedal, para a indução de obstrução no cólon menor durante um período de quatro horas. Cinco animais foram instrumentados, mas sem distensão (Grupo Controle - G1), em cinco outros animais promoveu-se uma isquemia mural por distensão do cólon menor através de um manguito inflado com 40 mmHg (Grupo Distendido - G2). Foram colhidas amostras de sangue imediatamente antes dos procedimentos, com 4h de isquemia e com 3h e 12h de reperfusão. As amostras do líquido peritonial coletou-se nos momentos: basal, 4h de isquemia, 3h reperfusão e 12h de reperfusão. Após centrifugação e aliquotização das amostras, as proteínas de fase aguda foram separadas por eletroforese em gel de poliacrilamida contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE) e suas concentrações foram determinadas através de densitometria computadorizada. Encontrou-se 19 proteínas no fracionamento eletroforético e o peso molecular variou de 185.000 a 14.000 Daltons. Os pesos moleculares encontrados, correspondentes às proteínas de fase aguda mais conhecidas, foram 130.000 D (ceruloplasmina), 122.000 D (proteína C-reativa), 85.000 D (transferrina), 68.000 D (albumina), 61.000 D (a1 antitripsina), 58.000 D (a1 antiquimotripsina), 47.000 D (haptoglobina) e 40.000 D (glicoproteína ácida). Os resultados demonstraram que as proteínas de fase aguda elevaram imediatamente após o trauma cirúrgico, bem como ocorre a queda da concentração das proteínas totais e de algumas proteínas específicas no líquido peritonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-10-14

Como Citar

Camara Saquetti, C. H., Resende Faleiros, R., da Graça Macoris, D., Fagliari, J. J., & de Lima Silva, S. (2008). PERFIL ELETROFORÉTICO DO PROTEINOGRAMA DO LÃ?QUIDO PERITONIAL DE EQÃœINOS COM OBSTRUÇÃO EXPERIMENTAL DO CÓLON MENOR. Veterinária Notícias, 14(1). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18882

Edição

Seção

Artigos