LIDOCAÃ?NA NO BLOQUEIO DE NERVOS MENTONIANOS DE CÃES ANESTESIADOS PELO ISOFLUORANO PARA EXODONTIA DE DENTES INCISIVOS

Autores

  • SIM J.R. FAMEV - UFU
  • PIGNATON, W. UFES
  • ZACCH E. UFES
  • FREITAS, P.M.C. CCA - UFES

Palavras-chave:

Nervo mentoniano, bloqueio anestésico extração dentária, odontologia, anestesiologia, cão.

Resumo

A dor é uma resposta fisiológica do organismo e, quando não tratada, desencadeia distúrbios sistêmicos, sendo, assim, importante o seu controle no pré, trans e pós-operatório. Objetivouse com este estudo avaliar os efeitos da lidocaína no bloqueio do nervo mentoniano (NM) durante a exodontia de dentes de incisivos de cães anestesiados pelo isofluorano. Foram utilizados seis cães adultos, três machos e três fêmeas, sem raça definida. Realizou-se exame clínico completo nos animais, análise eletrocardiográfica e coleta de amostra sangüínea para determinação do volume globular (VG) e proteína plasmática total (PPT), sendo submetidos ao experimento somente os hígidos. Foi feita antibioticoterapia preventiva com associação de metronidazol (12,5 mg·kg-1) e espiramicina (75.000 UI·kg-1), três dias antes, além da profilaxia bucal com clorexidina a 0,12%, sete dias antes do procedimento. Para o protocolo anestésico administrou- se acepromazina (0,1 mg·kg-1 IM) como medicação pré-anestésica e, após 15 minutos foi acessada a veia cefálica para indução com propofol (5 mg·kg-1 IV). Em seguida, os animais foram intubados e mantidos anestesiados pelo isofluorano em fluxo contínuo de oxigênio a 100% (200 ml·kg-1·min-1), através de circuito de reinalação parcial de gases. Os cães foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos: bloqueio do NM com lidocaína a 2% sem vasoconstrictor, na dose de 5 mg·kg-1 (GL); e bloqueio deste nervo com placebo de solução salina a 0,9% (GC), baseando-se na dosagem da lidocaína para o cálculo do volume. Para realização do bloqueio, introduziu-se uma agulha 13x0,60 mm 1,0 cm distante da fissura mandibular, na região do ramo da mandíbula esquerda, dentro de seu respectivo forame mentoniano. Foram mensuradas freqüência cardíaca (FC), freqüência respiratória (Æ’), pressão arterial média (PAM), saturação parcial de oxiemoglobina (SpO2), temperatura retal (Tr) e fração inspirada de isofluorano (FIIsof). O registro das variáveis ocorreu anteriormente à administração da acepromazina (MBasal), 15 minutos após a administração desse fármaco (MAcep), após a estabilização anestésica (M0), após o acesso invasivo da artéria femoral (M10) e a cada 10 minutos até completar uma hora (M20 a M70). Ato contínuo, o bloqueio do NM foi realizado imediatamente antes do M10, ao passo que no M40 extraiuse o incisivo lateral e no M60 o intermédio. A temperatura da sala cirúrgica foi mantida a 20 °C e a FIIsof foi calculada conforme Fortis; Jegier (2004). Os resultados foram avaliados pela análise de variância multivariada de perfil (MANOVA), a 5% de probabilidade (p < 0,05). Não houve diferença do VG, PPT, peso e tempo de anestesia entre os tratamentos. A FIIsof foi significativamente menor no GL (0,99±0,07 V%) do que no GC (1,56±0,33 V%), representando um decréscimo de 57,6%. A PAM, FC, Æ’ e Tr apresentaram diferença significativa entre os tratamentos durante o procedimento, sendo o comportamento dos parâmetros cardiorespiratórios avaliados mais homogêneos no GL. No GC a PAM apresentou dois picos na média durante os momentos da retirada dos dentes. Embora significativa, a Tr decresceu continuamente em ambos grupos. Assim, conclui-se que o uso da lidocaína para bloqueio do nervo mentoniano é indicado para exodontia de dentes incisivos em cães anestesiados pelo isofluorano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

J.R., S., W., P., E., Z., & P.M.C., F. (2008). LIDOCAÃ?NA NO BLOQUEIO DE NERVOS MENTONIANOS DE CÃES ANESTESIADOS PELO ISOFLUORANO PARA EXODONTIA DE DENTES INCISIVOS. Veterinária Notícias, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18764

Edição

Seção

Artigos