FIBROSE PÓS-CIRÚRGICA NA CORREÇÃO DE DESVIO TRAUMÃ?TICO DE PÊNIS EM BOVINOS

Autores

  • SILVA, L.A.F. EV - UFG
  • RABELO, R.E. EV - UFG - Jataí.GO
  • BARBOSA, V.T. EV-UFG - Goiânia.GO
  • SOARES, L.K. EV - UFG
  • COELHO, C.M.M. EV - UFG
  • LIMA, C.R.O. EV - UFG
  • SILVA, D.F.F. EV - UFG
  • LIMA, I.R. EV - UFG
  • MARTINS, L.R. Autonoma.

Palavras-chave:

Pênis, aderência, desvio, touro.

Resumo

No presente trabalho avaliou-se a presença de fibrose pós-cirurgica na correção de desvio traumático de pênis em três touros da raça Holandesa e dois Gir. Os animais foram submetidos ao tratamento cirúrgico dessa enfermidade, que constou inicialmente da anestesia dos nervos pudendo e hemorroidal, tranqüilização com cloridrato de xilazina a 2%, contenção em decúbito lateral e exposição do pênis. Após antissepsia com iodopovidona realizou-se aplicação de manguito de borracha na base da glande peniana, visando minimizar a hemorragia. Procedeu-se incisão longitudinal na região dorsal da glande atingindo a albugínea e o corpo esponjoso, até evidenciar a porção fibrosa do órgão, que foi cuidadosamente escarificada. Aproximou-se os tecidos seccionados empregando fio de algodão n° 0 em dois planos de sutura, padrão simples separado. No pós-operatório fez-se diariamente a higienização da lâmina interna do prepúcio e da glande, com o mesmo princípio ativo utilizado no pré-operatório. Durante 15 dias, com a intenção de prevenir aderências e avaliar a evolução clínica da ferida cirúrgica, procedeu-se exposição do pênis a cada cinco dias, após utilizar o mesmo procedimento anestésico empregado na fase de preparação. Nos 15 dias subseqüentes, os animais foram colocados próximos a uma fêmea bovina apresentando sinais de cio, obedecendo aos mesmos intervalos para que a exposição de pênis ocorresse naturalmente, sem, contudo, realizar a cópula. O cio foi induzido e para se evitar a efetivação da cópula os bovinos foram mantidos em currais separados, permitindo contanto, apenas o suficiente para excitação. Não ocorreu aderência no local da ferida cirúrgica, sendo que em um (20%) animal o problema foi corrigido, possivelmente em decorrência da fibrose desencadeada após intervenção cirúrgica. Embora o índice de recuperação tenha sido pequeno é possível concluir que o desvio traumático de pênis em bovinos pode ser corrigido com a fibrose desenvolvida no local após praticar incisão na região da glande e reconstruir os planos anatômicos sem substituir o ligamento apical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-02-12

Como Citar

L.A.F., S., R.E., R., V.T., B., L.K., S., C.M.M., C., C.R.O., L., D.F.F., S., I.R., L., & L.R., M. (2008). FIBROSE PÓS-CIRÚRGICA NA CORREÇÃO DE DESVIO TRAUMÃ?TICO DE PÊNIS EM BOVINOS. Veterinária Notícias - Vet Not, 12(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/18750

Edição

Seção

Artigos