IDENTIFICAÇÃO DAS ALTERAÇÕES NO USO DO SOLO A PARTIR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE CONTINENTAL (TSC) E DA ÁREA DE SUPERFÍCIE IMPERMEÁVEL (ISA)

Conteúdo do artigo principal

Andrews Lucena
Leonardo Peres
Otto Rotunno Filho
José Ricardo França

Resumo

Este trabalho visa analisar a evolução do uso do solo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ), entre 1980 e 2010, e sua influência sobre o campo térmico por meio do sensoriamento remoto. Foram utilizadas imagens do satélite Landsat 5 e 7 para mapear o uso do solo com quatro classes (urbano, rural ou urbano de baixa densidade, vegetação e corpos hídricos) a cada década (1980, 1990 e 2000) e para estimar a Temperatura da Superfície Continental (TSC) e a Área de Superfície Impermeável (ISA). A obtenção da TSC segue diversas etapas até a sua correção atmosférica, enquanto a ISA é obtida pelo cálculo da fração de cobertura vegetal e da classe de uso do solo "urbano" do pixel. Os resultados indicam que os pixels mais quentes e de classe de uso "urbano" aumentaram ao longo das décadas e espacialmente, concentrando na década de 2000 e nas áreas mais densas da metrópole. Estes resultados sugerem que a RMRJ é um espaço favorável ao fenômeno da ilha de calor urbana e que as técnicas de sensoriamento remoto oferecem as melhores opções para o seu mapeamento, monitoramento e análise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
LUCENA, A.; PERES, L.; ROTUNNO FILHO, O.; FRANÇA, J. R. IDENTIFICAÇÃO DAS ALTERAÇÕES NO USO DO SOLO A PARTIR DA ESTIMATIVA DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE CONTINENTAL (TSC) E DA ÁREA DE SUPERFÍCIE IMPERMEÁVEL (ISA). Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 68, n. 7, 2016. DOI: 10.14393/rbcv68n7-44365. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44365. Acesso em: 9 dez. 2022.
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)