DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DA CARTOGRAFIA GEOMORFOLÓGICA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Conteúdo do artigo principal

Kleber Carvalho Lima
Cenira Maria Lupinacci da Cunha
Archimedes Perez Filho

Resumo

Este artigo surgiu da necessidade de se adaptar técnicas de mapeamento geomorfológico para o estudo do relevo em áreas do semiárido brasileiro que possuem carência de material cartográfico e estudos geomorfológicos de maior detalhe. Para isso, desenvolveu-se o mapeamento geomorfológico da Bacia Hidrográfica do Rio Bom Sucesso (Bahia) como forma de testar alguns métodos tradicionais de mapeamento, associando-os às técnicas de sensoriamento remoto e SIG. O mapa elaborado não seguiu a orientação de apenas uma proposta de mapeamento geomorfológico, mas foram feitas adaptações de propostas nacionais e internacionais. Não obstante, buscou-se a melhor representação das formas derivadas dos processos atuantes no ambiente quente e seco, bem como a leitura rápida do conteúdo apresentado através da disposição dos elementos no mapa e na sua legenda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
LIMA, K. C.; CUNHA, C. M. L. da; FILHO, A. P. DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DA CARTOGRAFIA GEOMORFOLÓGICA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 65, n. 6, 2013. DOI: 10.14393/rbcv65n6-43880. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/43880. Acesso em: 30 nov. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Kleber Carvalho Lima, Universidade Estadual Paulista

Universidade Estadual Paulista

Cenira Maria Lupinacci da Cunha, Universidade Estadual Paulista

Universidade Estadual Paulista

Archimedes Perez Filho, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas