Extensão e comunicação

Núcleo Educação, Trabalho e Movimentos Sociais na Universidade de Pernambuco, campus Mata Norte

Autores

  • Volmir José Brutscher Universidade de Pernambuco
  • Ana Maria Sotero Pereira Universidade de Pernambuco
  • Cleiton de Barros Nunes Universidade de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-67341

Palavras-chave:

Educação Popular, Labor, Movimentos Sociais Populares, Emancipação, Transformação

Resumo

O objetivo do relato é sistematizar a experiência do Núcleo Educação, Trabalho e Movimentos Sociais, da Universidade de Pernambuco, lançando luz sobre o próprio processo. A metodologia se orienta pela análise dialética, que consiste em analisar e compreender a realidade em relação ao todo, em processo histórico e, portanto, em movimento. Apoia-se na concepção de educação popular contemporânea, tendo em Paulo Freire a principal referência teórica. Como resultado, indica algumas categorias que expressam a realidade e o desejo do Núcleo, a saber: o diálogo, a participação, o estar e o aprender com, a consciência de classe, o sonho e a esperança. Como conclusão, aponta para um processo organizativo que assume a dimensão política da educação, tomando posição ao lado dos trabalhadores e dos movimentos populares, na luta por emancipação e transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Volmir José Brutscher, Universidade de Pernambuco

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, Brasil; professor da Universidade de Pernambuco, Campus Mata Norte, Brasil; membro do Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR/UFPB/CNPq).

Ana Maria Sotero Pereira, Universidade de Pernambuco

Doutora em Ciências da Educação pela Universidade do Porto, Portugal; professora da Universidade de Pernambuco, Campus Mata Norte, Brasil; membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Políticas Educacionais, Sujeito, Docência e Currículo (POSDOC/UPE/CNPq). 

Cleiton de Barros Nunes, Universidade de Pernambuco

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco, Brasil; professor da Universidade de Pernambuco, Campus Mata Norte, Brasil; membro do Grupo de Pesquisa Poéticas do Cuidado e Ontologias da Resistência (PPGE/UFPE/CNPq).

Referências

ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (org.). Por uma educação do campo. 5.ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2011.

AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA. Congresso aprova PLOA 2022 com mais de R$ 2,4 trilhões destinados ao pagamento da Dívida, 22 dez. 2021. Disponível em: https://auditoriacidada.org.br/congresso-aprova-ploa-2022-com-mais-de-r-24-trilhoes-destinados-ao-pagamento-da-divida/#:~:text=Not%C3%ADcias-,Congresso%20aprova%20PLOA%202022%20com%20mais%20de%20R%24%202%2C4,destinados%20ao%20pagamento%20da%20D%C3%ADvida. Acesso em: 22 jun. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Geral. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 10.252, de 20 de fevereiro de 2020. Aprova a Estrutura Regimental, o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - Incra, e remaneja cargos em comissão e funções de confiança. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2019-2022/2020/Decreto/D10252.htm. Acesso em: 20 mar. 2020.

BRUTSCHER, V. Educação e conhecimento em Paulo Freire. Passo Fundo: IFIBE: IPF, 2005.

BRUTSCHER, V. Discursos da educação popular contemporânea: encontros com Michel Foucault e Paulo Freire. 2017. 252 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/tede/9874/2/Arquivototal.pdf. Acesso em: 15 set. 2022.

CALDART, R. S. A escola do campo em movimento. In: CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (org.). Por uma educação do campo. 5. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2011.

FREIRE, P. Pacientes impacientes: Paulo Freire. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Caderno de Educação Popular. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. p. 32-45. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_educacao_popular_saude_p1.pdf. Acesso em: 10 out. 2022.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002b.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 35. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

GOHN, M. G. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. 11. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

JARA, H., O. Para sistematizar experiências. Tradução de Maria Viviana V. Resende. 2. ed. rev. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2006. (Série Monitoramento e Avaliação, 2). Disponível em: http://www.edpopsus.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/oscar-jara-para-sistematizar-experic3aancias1.pdf. Acesso em: 15 out. 2022.

LINS, L. T. Teorias sobre os movimentos sociais: projetos de sociedade em disputa. In: FIGUEIREDO, J. B. de A.; VERAS, C. I. M.; LINS, L. T. (org.). Educação popular e movimentos sociais: experiências e desafios. Fortaleza: Imprece, 2016.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de Luis Claudio de Castro e Costa. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Downloads

Publicado

2022-11-05

Como Citar

BRUTSCHER, V. J.; PEREIRA, A. M. S.; NUNES, C. de B. Extensão e comunicação: Núcleo Educação, Trabalho e Movimentos Sociais na Universidade de Pernambuco, campus Mata Norte. Revista de Educação Popular, Uberlândia, MG, p. 87–100, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-67341. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/67341. Acesso em: 10 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)