Tertúlia dialógica de artes

possibilidades para ampliar o ensino de artes a partir da leitura do mundo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/OT2022v24.n.1.64557

Palavras-chave:

Democratização da educação, Arte, Prática pedagógica, Formação de professores, Aprendizagem

Resumo

Este texto tem a finalidade de apresentar a tertúlia dialógica de artes (TDA) e suas possibilidades para ampliar o ensino das artes visuais nos anos iniciais do ensino fundamental. A TDA é uma atividade cultural e educativa fundamentada no conceito de aprendizagem dialógica, partindo do pressuposto de que as interações e o diálogo são a chave para a aprendizagem contemporânea. O estudo recorreu a procedimentos da metodologia comunicativa de pesquisa para coleta, análise e interpretação de dados obtidos com crianças, suas professoras e coordenadora de uma escola situada em município do interior brasileiro. Os principais resultados destacaram desafios e limitações em torno do ensino de artes na escola, a leitura dialógica de imagens como meio de aprender e ensinar artes e as transformações desencadeadas no cotidiano da escola pela aproximação das artes visuais. As conclusões corroboraram a necessidade de ampliar o ensino de artes na escola brasileira, podendo contar com as possibilidades da TDA para superar lacunas da prática docente e integrar dimensões cognitivas, estéticas, afetivas e sociais desde os anos iniciais do ensino fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Fernandes Coimbra Marigo, UFSCar

Professora do quadro efetivo da UFSCar no Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas, com pós-doutorado em educação escolar, é psicóloga e pedagoga. Participa das ações de ensino, pesquisa e extensão do Núcleo de Investigação e Ação Social e Educativa (NIASE/UFSCar).

Amadeu José Montagnini Logarezzi, UFSCar

Professor titular da Ufscar pela engenharia de materiais, com pós-doutorado em sociologia, experiência nos PPGs em educação e em ciências ambientais, participação no Núcleo de Investigação e Ação Social e Educativa, no Grupo de Estudo e Pesquisa em Diálogo e no Fundo Brasileiro de Educação Ambiental e coordenação do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Ambiental.

Referências

ANDRE, Carminda Mendes. O que pode a performance na escola?. Cad. CEDES, Campinas, v. 37, n. 101, p. 83-106, Abr. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/cc0101-32622017168671.

ARAUJO, Gustavo Cunha de. Arte, escola e museu: análise de uma experiência em arte/educação no Museu Universitário de Arte - MUnA. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 44, e174612, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022018000100433&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 07 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-463420180144174612.

ASBAHR, Flávia da Silva Ferreira. Sentido pessoal, atividade de estudo e educação artística: um estudo de caso. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 23, e192457, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-35392019012457.

AUBERT, Adriana; FLECHA, Ainhoa; GARCÍA, Carme; FLECHA, Ramón; RACIONERO, Sandra. Aprendizaje dialógico en la sociedad de la información. Barcelona: Hipatia Editorial S. A., 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2020.

BAKHTIN, Mikhail. The dialogic imagination. Four Essays. Austin: University of Texas Press, 1981.

BARROS-DEL RIO, Maria Amor; ALVAREZ, Pilar; MOLINA ROLDAN, Silvia. Implementing Dialogic Gatherings in TESOL teacher education. Inovation in Language Learning and Teaching. P. 1-12, mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.1080/17501229.2020.1737075.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Trad. Daniela Kern e Guilherme J. F. Teixeira. 2ª ed. ver. Porto Alegre: Editora Zouk, 2011.

BUSLON, Nataly; GAIRAL, Regina; LEÓN, Susana; PADRÓS, Maria; REALE, Emanuela. The Scientific Self-Literacy of Ordinary People: Scientific Dialogic Gatherings. Qualitative Inquiry. v. 26, Edição 8-9, p. 977-982, n. 1077800420938725, Jul. 2020. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1077800420938725.

CORDEIRO, Ana Paula; ARAÚJO, Luciana Aparecida de; ANJOS, Cleriston Izidro dos. Formação de professores para a educação básica e o ensino da arte: caminhos possíveis. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 24, p. 1-21, jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.5212/OlharProfr.v.24.17738.062.

CUNHA, Antônio G. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 3ª ed. Rio de Janeiro: Lexikon Editora Digital, 2007.

DÍEZ-PALOMAR, Javier. Dialogic mathematics gatherings: encouraging the other women’s critical thinking on numeracy. ZDM Mathematics Education. 52, 473–487, Set. 2019. DOI: https://doi.org/10.1007/s11858-019-01092-2.

FERNANDES JUNIOR, Marco Antonio João; CALUZI, João José. Concepções sobre Interdisciplinaridade entre Arte e Ciências: estudo a partir do relato de um professor e de alunos da Educação Básica. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 26, e20045, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1516-731320200045.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 34ª ed. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo; MACEDO, Donaldo. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. 4ª ed. São Paulo: Editora Paz e Terra S. A., 2006.

GASTYNE, Michèle de. Creative and Critical Thinking, and Ways to Achieve It. Journal of Interdisciplinary Studies in Education. v. 9, n. SI, p. 152-177, 2020. Disponível em: https://www.ojed.org/index.php/jise. Acesso em: 07 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.32674/jise.v9iS(1).1785.

GIROTTO, Vanessa Cristina; MELLO, Roseli Rodrigues de. O ensino da leitura em sala de aula com crianças: a tertúlia literária dialógica. Revista Inter Ação, vol. 37, n.1, p. 67–84, 2012. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/index.php/interacao/article/view/18869. Acesso em: 14 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.5216/ia.v37i1.18869.

GOMBRICK, Ernest Hans. A história da arte. Trad. Cristiana de Assis Serra. Rio de Janeiro LTC, 2018.

GÓMEZ, Jesús; LATORRE, Antonio; SÁNCHEZ, Montse; FLECHA, Ramón. Metodologia comunicativa crítica. Barcelona, Espanha: Hipatia, 2006.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la acción comunicativa. 2ª ed. Madrid: Taurus, 2002, v. I, Racionalidad de la acción y racionalización social.

HADZIGEORGIOU, Yannis; SKOUMIOS, Michael. The Development of Environmental Awareness through School Science: Problems and Possibilities. International Journal of Environmental & Science Education, v. 8, 405-426, 2013. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=EJ1016851. Acesso em: 07 mar. 2021.

JESUS, Joaquim. O lugar do olhar. A cianotipia no ensino em artes visuais. Porto: Universidade do Porto Editorial, vol. 24, 2011 (Série Para Saber).

KASHEKOVA, Irina Emilyevna; KOLOSOVA, Svetlana Nikolaevna. In Continuation of the Discussion about Ratio Science and Human Knowledge in the Education of Modern Man. International Environmental & Science Education. v. 11, n. 18, 2016. Disponível em: http://www.ijese.net/makale_indir/IJESE_1729_article_585d25ebdf2ab.pdf. Acesso em: 07 mar. 2021.

MAHMOUDI, Sirous. JAFARI, Ebrahim; NASRABADI, Hasan Ali. LIAGHATDAR, Mohmmd Javad. Holistic Education: An Approach for 21 Century. International Education Studies. V. 5, n. 2; April 2012. Disponível em: http://www.ccsenet.org/journal/index.php/ies/article/view/17024. Acesso em: 07 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.5539/ies.v5n3p178.

MARAURI CEBALLOS, Jesús; VILLAREJO CARBALLIDO, Beatriz; GARCIA CARRIÓN, Rocío. Las Tertulias Teológicas Dialógicas en Educación Primaria: Aprendizaje y Enseñanza de la Religión en un Espacio Dialógico. Social and Education History, v. 9, n. 2, p. 201-223, Mar. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.17583/hse.2020.4914.

MELLO, Roseli R. de; BRAGA, Fabiana, M.; GABASSA, Vanessa. Comunidades de aprendizagem: outra escola é possível. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2012. DOI: https://doi.org/10.7476/9788576003731.

RUIZ-EUGENIO, Laura; PUIGVERT, Lídia; RIOS, Oriol. CISNEROS, Rosa Maria. Communicative Daily Life Stories: Raising Awareness About the Link Between Desire and Violence. Qualitative Inquiry. v. 26, Edição ‏ 8-9, p. ‏ 1003-1009. n. 1077800420938880. Jul. 2020. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1077800420938880.

SHOKOROVA, Larisa Vladimirovna; KISELEVA, Natalia Egorovna; BATSYNA, Oksana Alexandrovna. The Role of Pre-Teritiary Artistic Training in the Vocational Self-Determination of Enrollees. International Journal of Environmental & Science Education. 2016, v. 11, n. 15, Disponível em: http://www.ijese.net/makale_indir/IJESE_1111_article_57f935f69840e.pdf. Acesso em: 07 mar. 2021.

SINTONEN, Sara. Bringing Mythical Forests to Life in Early Childhood Education. International Journal of Early Childhood Environmental Education, 7(3), p. 62, 2020. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/335969309.pdf. Acesso em: 07 mar. 2021.

SOUZA, Maria Celeste Reis Fernandes de. Estudantes em tempo integral no campo: aprendizagens, processos e sentidos. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 46, n. 161, p. 756-782, Set. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/198053143440.

VALLS, Rosa; SOLER, Marta; FLECHA, Ramón. Lectura dialógica: interacción es que mejoran y aceleran la lectura. Revista Ibero Americana de Educación. N. 46, p. 71-887, 2008. Disponível em: http://elearning3.hezkuntza.net/015253/pluginfile.php/1501/mod_resource/content/1/Artikuluak/_lectura-1.pdf. Acesso em: 14 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.35362/rie460717.

VICTORIO FILHO, Aldo; BULCAO, Heloisa Lyra; BATISTA, Leonardo Moraes. O Espaço na/da Arte e na/da Educação como (Re)Existência. Educ. Real., Porto Alegre, v. 44, n. 3, e84913, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-623684913.

VIGOTSKI, Lev Semiónovich. Psicologia da arte. Trad. Paulo Bezerra. São Pulo: Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKI, Lev S. Obras escogidas. 2ª ed. Madrid: Ed. Visor Distr. S. A. 2000, tomo III, Historia del Desarrollo de las funciones psíquicas superiores.

ZUCCOLI, Franca. Formar-se com Arte entre Museu e Pré-escola. Educ. Real., Porto Alegre, v. 40, n. 4, p. 1045-1060, dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-623651713.

Downloads

Publicado

2022-07-14

Como Citar

FERNANDES COIMBRA MARIGO, A.; MONTAGNINI LOGAREZZI, A. J. Tertúlia dialógica de artes: possibilidades para ampliar o ensino de artes a partir da leitura do mundo. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 24, n. 1, 2022. DOI: 10.14393/OT2022v24.n.1.64557. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/64557. Acesso em: 13 ago. 2022.