Representações sociais dos discentes deficientes auditivos na educação de jovens e adultos

Conteúdo do artigo principal

Marconde Ávila Bandeira
https://orcid.org/0000-0001-8414-0761
Rosiane Portilho
http://orcid.org/0000-0001-9279-9937
Irlanda Do Socorro de Oliveira Miléo
http://orcid.org/0000-0002-7075-6503

Resumo

Este estudo divulga a experiência vivenciada na Educação de Jovens e Adultos (EJA) sobre as representações sociais dos discentes deficientes auditivos e o processo de exclusão no município de Altamira, Pará. A fundamentação teórica se baseia nos estudos sobre as representações sociais; representação do mundo da criança de Piaget; fundamentos de defectologia da criança anormal de Vygotsky. Utilizou-se a abordagem qualitativa de pesquisa. Observamos a exclusão vivenciada pelos sujeitos deficientes auditivos na unidade escolar. Contudo, no ensino noturno, os discentes se sentem desafiados a se desenvolverem intelectualmente. O encontro com a Língua Brasileira de Sinais representa uma possível ferramenta para o desenvolvimento social escolar na transformação social de sua realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Bandeira, M. Ávila ., Portilho, R., & Miléo, I. D. S. de O. . (2021). Representações sociais dos discentes deficientes auditivos na educação de jovens e adultos. Ensino Em Re-Vista, 28(Contínua), e046. https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-46
Seção
DOSSIÊ - MUDANÇAS NO SISTEMA EDUCIONAL: DO QUE SENTIMOS FALTA?

Referências

ARROYO, M. Balanço da EJA: o que mudou nos modos de vida dos jovens-adultos populares?. 67ª plenária do Fórum Mineiro de Educação de Jovens e Adultos, realizada na Faculdade de Educação da UFMG, no dia 29 de junho de 2007, ocasião que se comemorou o 9º aniversário desse Fórum. Disponível em: http://www.reveja.com.br/revista/ 0/artigos/ REVEJ@_0_MiguelArroyo.htm. Acesso em: 20 abr.2020.

BRASIL. Parecer CNE/CEB 11/2000, aprovado em 10 de maio de 2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Diário Oficial da União: Seção 1e, p. 15, Brasília, 9 jun. 2000.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/legislacaoconstituicao/anexo/cf.pdf. Acesso em: 17 set. 2020.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002 e o artigo 18º da Lei n. 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União: Seção 1, p. 28, Brasília, DF, 23 dez. 2005.

BRASIL. Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, p. 23, Brasília, DF,25 abr. 2002.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, v. 143, n. 248, p. 27833, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, jan. 2008.

BRASIL. Resolução n. 2/2001. Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Diário Oficial da União: Seção 1E, p. 39-40, Brasília, DF, 14 set. 2001.

BRASIL. Resolução CNE/CEB 3/2010, de 15 de junho de 2010. Institui as Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Diário Oficial da União: Seção 1, p. 66, Brasília, DF, 16 jun. 2010

BRASIL. Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Plano Plurianual de Alfabetização. Salvador, BA, 2007. Disponível em: http://www.sec.ba.gov.br/topa/ppalfa_2007. Acesso em: abr. 2020.

BRASIL. Cadernos EJA 1: trabalhando com a educação de jovens e adultos. Alunos e alunas da EJA. Brasília, DF: MEC, 2006.

BRASIL. Cadernos EJA 2: trabalhando com a educação de jovens e adultos. Sala de aula como espaço de vivencia e aprendizagem. Brasília, DF: MEC, 2006.

DELANDES, S. F.; GOMES, R.; MINAYO, C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, M. Convite à leitura de Paulo Freire. São Paulo: Scipione, 1989.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Básica. Brasília, DF: Inep, 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica. Acessado, em: 23 abr. 2020.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

PIAGET, J. A representação do mundo na criança. Rio de Janeiro: Record, 2005 [1979] [1994].

ROMÃO, J. E. Compromisso do educador de jovens e adultos. In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J. E. (Org.). Educação de jovens e adultos: teoria prática e proposta. São Paulo: Cortez, 2006. v. 5.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas V. Fundamentos de Defectologia. Madrid: Visor, 1997.