Doenças Crônicas Não Transmissíveis, Absenteísmo Escolar e Boas Práticas em Pedagogia Hospitalar

Conteúdo do artigo principal

Léa Chuster Albertoni
https://orcid.org/0000-0003-3728-9103

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar a relação entre as Doenças Crônicas Não Transmissíveis e o processo de escolarização sob a ótica da multiplicidade de fatores que compõem esse tema. As doenças crônicas e as de longa duração constituem uma das vertentes preocupantes na vida de uma parcela bastante significativa de crianças e adolescentes. Portanto, é necessário aproximar educação e saúde, compreender as necessidades advindas das situações crônicas física e mental, identificar as condições de risco e estimular a permanência e a continuidade do processo de desenvolvimento e de escolarização desses alunos. A permanência e a (re)integração escolar dessa população serão aqui abordadas segundo o conceito de Boas Práticas em Pedagogia Hospitalar. Salienta-se, igualmente, neste artigo a importância da formação docente como elemento essencial para o redimensionamento das ações pedagógicas e educacionais na busca de melhores condições de vida dos alunos que vivenciam situações de enfermidade crônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Albertoni, L. C. . (2021). Doenças Crônicas Não Transmissíveis, Absenteísmo Escolar e Boas Práticas em Pedagogia Hospitalar. Ensino Em Re-Vista, 28(Contínua), e009. https://doi.org/10.14393/ER-v28a2021-9
Seção
DOSSIÊ - FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O ATENDIMENTO EM AMBIENTE HOSPITALAR

Referências

ALBERTONI, L. C. A inclusão escolar de alunos com doenças crônicas: Professores e gestores dizem que... Curitiba: Appris, 2014.

BARROS, M. B. A., et al. Desigualdades sociais na prevalência de doenças crônicas no Brasil, PNAD-2003. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 911-926, Dec. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232006000400014&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 4 jul. 2020. https://doi.org/10.1590/S1413-81232006000400014

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 9 dez. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. / Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC; SEESP, 2002, 35p.

CÂMARA Municipal de Faro, Divisão de Acção Social, Análise da relação entre o perfil psicossocial do aluno e o abandono escolar. Projecto “Integrar para Educar”- Programa Ser Criança. Ministério do Trabalho e Solidariedade Social, da Câmara Municipal de Faro. Portugal, 2007

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000. Tradução de Bruno Magne.

CURY, C. R. J. A educação básica como direito. Cad Pesqui, v. 38, n. 134, p. 293-303, maio/ago. 2008. https://doi.org/10.1590/S0100-15742008000200002.

DUARTE, E. D., et al. Cuidado à criança em condição crônica na atenção primária: desafios do modelo de atenção à saúde. Texto Contexto Enferm. Florianópolis, v. 24, n. 4, p. 1009-1017, out-dez. 2015. https://doi.org/10.1590/0104-0707201500003040014.

ENUMO, S. R. F.; FERRAO, E. S.; RIBEIRO, M. P. L. Crianças com dificuldade de aprendizagem e a escola: emoções e saúde em foco. Estud. Psicol. (Campinas), Campinas, v. 23, n. 2, p. 139-149, jun. 2006. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2006000200004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 4 jul. 2020. https://doi.org/10.1590/S0103-166X2006000200004.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder (R. Machado, Trad.). Rio de Janeiro: Graal, 1981. (Original publicado em 1979).

GELABERT, S. V.; BENNASAR, F. N. Bones Pràtiques en Entorns Pedagogics. Intervenció i Investigació Educativa i Tecnològica en Pedagogia Hospitalària, n. 3, Maig, 2019.

HERZLICH, C. Health and Illness: A Social-Psychological Analysis. New York: Academic Press, 1973.

HOLANDA, E. R.; COLLET, N. As dificuldades da escolarização da criança com doença crônica no contexto hospitalar. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 45, n. 2, p. 381-389, Apr. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342011000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 jun. 2020. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000200012.

JERUSALINSKY, J.; LUGON, R. Inclusão sem laudo é um direito da criança! Disponível em: https://emais.estadao.com.br/.../inclusao-sem-laudo-e-um-direito-da-crianca. [2016]. Acesso em: 9 ago. 2016.

KIVUNJA, C. Do You Want Your Students To Be Job-ready With 21st Century Skills? Change Pedagogies: A Paradigm Shift From Vygotskyian Social Constructivism To Critical Thinking, Problem Solving And Siemens' Digital Connectivism. In: HARARI, Y. N. 21 lições para o século 21, São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

LIZASOÁIN, O.; A POLAINO-LORENTE. La Pedagogía Hospitalaria en Europa: la historia reciente de um movimento pedagógico inovador. Psicothema, v. 4, n. 1, 49-67, 1992.

LIZASOÁIN, O.; A POLAINO-LORENTE. Reflexiones en torno de la docencia de Educación Especial en el contexto universitario: el reto del Espacio Europeo de Educación Superior. Revista de Ciencias de la Educación, n. 209, p. 101-117, 2007.

MALTA, D. C., et al. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 23, n. 4, p. 599-608, out-dez 2014. Disponível em <http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000400002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 7 jul. 2020. https://doi.org/10.5123/S1679-49742014000400002.

MANTOAN, M. T. E. Escolas dos diferentes ou escolas das diferenças? ComCiência, Campinas, n. 135, fev. 2012. Disponível em <http://comciencia.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-76542012000100009&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 4 jul. 2020.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão Escolar. O que é? Por quê? Como fazer? 2. ed. São Paulo: Moderna, 2006.

MATOS, E. L. M.; MUGIATTI, M. M. T. F Pedagogia Hospitalar: a humanização integrando educação e saúde. 4 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MOLINA, M. C.; VIOLANT, V.; LIZASOÁIN, O. Educación, salud y enfermedad. Las bases de la Pedagogía Hospitalaria. En: BOBADILLA, A., et al. La Pedagogía Hospitalaria Hoy. Análisis de las Políticas, los ámbitos y la formación de profesionales. Santiago de Chile: Santillana, p. 14-17, 2013.

MOLINA, M. C.; ARREDONDO, T.; GONZÁLEZ, J. Buenas prácticas e innovación en el contexto de la educación inclusiva. In: ______. (edit.). Buenas prácticas e innovación en pedagogía hospitalaria. La atención hospitalaria y domiciliaria. Barcelona: Octaedro, 2019.

MOREIRA; M. C. N.; GOMES, R.; SA, M. R. C. Doenças crônicas em crianças e adolescentes: uma revisão bibliográfica. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 7, p. 2083-2094, jul. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014000702083&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 4 jul. 2020. https://doi.org/10.1590/1413-81232014197.20122013.

NESCON – Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. O Conceito de Condições de Saúde. Organização Panamericana de Saúde. 2012.

NOGUEIRA, K. T. O adolescente com doença crônica. PRONAP - Programa Nacional de Educação Continuada em Pediatria, v. 19, p, 44-53, 2016.

OLIVEIRA, A. F. et al. Global burden of disease attributable to diabetes mellitus. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1234-44, jun. 2009. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600006.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação: relatório mundial. Brasília: OMS; 2003.

SALDANHA, G. M. M. M.; SIMÕES, R. R. Educação escolar hospitalar: o que mostram as pesquisas? Rev. Bras. Educ. Espec., Marília, v. 19, n. 3, p. 447-464, Sept. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382013000300010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 jun. 2020. https://doi.org/10.1590/S1413-65382013000300010.

SALDARRÍAGA, J. F.; MARTÍNEZ, E. Factores asociados al ausentismo laboral por causa médica en una institución de educación superior. Rev. Fac. Nac. Salud Pública [online], Medellin, v. 25, n. 1, p. 32-39, 2007.

SILVA FILHO, R. B.; ARAÚJO, R. M. L. Evasão e abandono escolar na educação básica no Brasil: fatores, causas e possíveis consequências. Educação por Escrito, v. 8, n. 1, p. 35-48, 2011. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2017.1.24527.

VASCONCELLOS, S. S.; MATTOS, C. L. G. O absenteísmo escolar e sua regulamentação. In MATTOS, C. L. G.; CASTRO, P. A. (orgs). Etnografia e educação: conceitos e usos [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011, pp. 271-296. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 3 jul. 2020.

VIEIRA, M. A.; LIMA, R. A. G. Crianças e Adolescentes com Doenças Crônicas: Convivendo com Mudanças. Rev Latino-Am Enfermagem [online], v. 10, n. 4, p. 552-560, jul-ago, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692002000400013&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 3 jul. 2020. https://doi.org/10.1590/S0104-11692002000400013.