Modelos conceituais de sistemas agroflorestais agroecológicos

uma criação orientada pela ciência aplicada e materializada sob a prática de campo e a transversalidade de saberes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT195371468

Palavras-chave:

Semiárido brasileiro, agricultura familiar sustentável, recursos naturais, recuperação ambiental, modelagem conceitual

Resumo

O atual momento apela por novos paradigmas que ajudem a sociedade a redirecionar sua rota rumo à melhoria da qualidade de vida associadamente à melhoria da qualidade ambiental. Os Sistemas Agroflorestais (SAF’) agroecológicos são uma tecnologia que além de promover uma agricultura sustentável tem o reconhecido potencial de preservar o meio ambiente. O artigo discute a criação dos Modelos Conceituais de SAF’s agroecológicos - instrumentos da informação que integram práticas de sustentabilidade na agropecuária e ações estratégicas para o alcance de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável relacionados - e podem ser usados por agricultores familiares e instituições que atuam na agricultura familiar a fim de auxiliá-los em seus processos de implantação, manejo e gestão de SAF’s. Em face do exposto, evidenciam-se a metodologia puramente científica e a transversalidade de saberes dos agricultores agrofloresteiros na criação dos Modelos Conceituais, com notoriedade à importância do Trabalho de Campo e da Pesquisa Participante, aos quais integram-se perspectivas de Carlos Rodrigues Brandão, tanto à discussão destas técnicas quanto às análises e reflexões de constituintes do mundo rural que os Modelos Conceituais abrangem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Denise Ferreira Gonçalves, Universidade Federal de Campina Grande

Possui graduação em Bacharelado em Sistemas de Informação (2012) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco; Mestrado em Administração e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2017); e Doutorado em Engenharia e Gestão de Recursos Naturais (2023) pelo Centro de Tecnologia e Recursos Naturais da Universidade Federal de Campina Grande - PB. Possui experiência em Engenharia de Sistemas (um campo interdisciplinar da engenharia que foca no desenvolvimento e organização de sistemas complexos e que integra outros grupos de disciplinas). Também possui experiência em pesquisa e extensão realizadas na área de Desenvolvimento Rural e nos seguintes temas: agricultura familiar, desenvolvimento sustentável e políticas públicas de sustentabilidade, Agroecologia e Sistemas Agroflorestais Agroecológicos. Aplica a área de Modelagem de modo inter-relacionado e dinâmico em pesquisas com enfoques no Semiárido e no bioma Caatinga. Aplica técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento para estudos e pesquisas que abordam as transformações que acontecem no meio ambiente e que estão relacionados ao uso e cobertura dos solos, bacias hidrográficas, águas e ações antrópicas.

Sérgio Murilo Santos de Araújo, Universidade Federal de Campina Grande

Graduado e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Doutor em Ciências/Geociências (2004) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor e Pesquisador (Associado IV) na Unidade Acadêmica de Geografia (UAG)/Centro de Humanidades - Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Atua nas áreas de GEOGRAFIA e GEOCIÊNCIAS, nos ramos: 1) Geografia Física: Geomorfologia, Climatologia Geográfica e Recursos Hídricos; 2) Geografia e Meio Ambiente: Análise Ambiental; Administração e Política de Recursos Minerais; Vulnerabilidades, Riscos e Impactos Ambientais (EIA/RIMA); Gestão e Conservação dos Recursos Naturais; Ordenamento do Território; Desertificação, Degradação e Recuperação de Áreas Degradadas; e Semiárido Brasileiro (SAB). Participa como líder do Grupo de Estudos e Pesquisas Gestão e Ordenamento Ambiental - GEOAMB (UFCG). Participa dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão de Recursos Naturais (Mestrado e Doutorado/PPGEGRN - UFCG); História (Mestrado acadêmico - UFCG ) e no Mestrado Profissional em Ensino de Geografia (ProfGeo/UFCG). Atualmente coordena o projeto "Reuso da água proveniente de esgoto doméstico tratado para a produção agrícola em comunidades rurais, financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba - FAPESQ-PB (2020-2023). Tem experiências nas atividades de Gestão Acadêmica (Coordenador Administrativo e de Curso da Unidade Acadêmica de Geografia da UFCG). No Ensino de Geografia foi professor do Ensino Básico (Fundamental e Médio) entre 1992 e 2002 nos municípios de São Lourenço da Mata-PE, Recife-PE e na Rede Estadual de Ensino de Pernambuco - SEDUC-PE.

Genival Barros Júnior, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1986) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2007). Professor Associado IV da Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Serra Talhada e membro dos grupos de pesquisa de Mecânica da Erosão Hídrica e Poluição Agrícola em Microbacias Hidrográficas, Ecohidrologia do Semiárido, Coordenador do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Práticas Agroecológicas do Semiárido da UFRPE . Na área de ciências agrárias possui experiência em manejo de água-solo-planta, hidráulica e hidrologia agrícola, extensão rural e assessoramento a populações rurais.

Downloads

Publicado

14-04-2024

Como Citar

GONÇALVES, B. D. F.; ARAÚJO, S. M. S. de; BARROS JÚNIOR, G. Modelos conceituais de sistemas agroflorestais agroecológicos: uma criação orientada pela ciência aplicada e materializada sob a prática de campo e a transversalidade de saberes. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 19, n. 53, p. 151–177, 2024. DOI: 10.14393/RCT195371468. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/71468. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Trabalho de Campo e a Pesquisa Participante: a contribuição de Carlos Rodrigues Brandão