Investigação-Ação-Participativa como metodologia para o estudo dos processos que (re)definem a identidade de gênero de mulheres haitianas nos espaços de migração no Oeste de Santa Catarina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT185171067

Palavras-chave:

teoria decolonial, metodologia Investigação-Ação-Participativa – IAP, relações de gênero em espaços migratórios

Resumo

O tema deste artigo consiste na Investigação-Ação-Participativa (IAP), como metodologia para o estudo dos processos que (re)definem a identidade de gênero de mulheres haitianas nos espaços de migração no Oeste de Santa Catarina (SC). O objetivo foi elaborar uma proposta metodológica orientada pela IAP para investigar quais processos que (re)definem a identidade de gênero de mulheres haitianas nos espaços de migração no Oeste de SC. A metodologia adotada para a elaboração deste artigo consistiu na pesquisa Bibliográfica fundamentada no pensamento Latino-americano orientado pela perspectiva teórica decolonial. O resultado foi a elaboração de uma proposta metodológica de investigação participativa em que nela consta o método e a metodologia, o campo de investigação, sujeitos da pesquisa, mensuração e análise dos dados. Conclui-se o artigo trazendo considerações a respeito da metodologia IAP para o estudo de populações que passaram e passam por um processo de marginalização social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-11-2023

Como Citar

IOP, E. Investigação-Ação-Participativa como metodologia para o estudo dos processos que (re)definem a identidade de gênero de mulheres haitianas nos espaços de migração no Oeste de Santa Catarina. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 18, n. 51, p. 33–54, 2023. DOI: 10.14393/RCT185171067. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/71067. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Edição Especial Metodologias Qualitativas de Pesquisa e/ou Ação