Produção de pimenta-do-reino (Piper nigrum) e territorialidades camponesas na comunidade Dom Ângelo Frozi - Bujaru - PA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT195470992

Palavras-chave:

pimenta-do-reino, território, campesinato, Bujaru

Resumo

A pesquisa busca compreender a importância da cultura da pimenta-do-reino para a territorialização do campesinato no município de Bujaru - PA. Nos caminhos da Rodovia PA-140, a paisagem reflete a expansão do capitalismo na região, expressa a partir das fazendas que ocupam grandes extensões de terra com seu uso destinado predominantemente à criação de gado. Ao longo da rodovia, multiplicam-se comunidades rurais, a exemplo de Dom Ângelo Frozi. Tal cenário possibilita reflexões centradas na territorialização camponesa local. Trata-se de uma pesquisa qualitativa com uso do trabalho de campo e de entrevistas estruturadas e semiestruturadas. Verifica-se assim que a produção da pimenta-do-reino, introduzida nessa região por colonos japoneses, ocorre aliada às demais culturas presentes na comunidade, promovendo seu reflexo na territorialização camponesa ao longo da rodovia, ampliando a renda e permitindo maior autonomia a esse campesinato.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

12-04-2024

Como Citar

LEÃO, J. V. R.; MACEDO, C. O. Produção de pimenta-do-reino (Piper nigrum) e territorialidades camponesas na comunidade Dom Ângelo Frozi - Bujaru - PA. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 19, n. 54, p. 80–102, 2024. DOI: 10.14393/RCT195470992. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/70992. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos