Relicário de memórias - Educação Popular na década de 1960

Carlos Rodrigues Brandão e Osmar Fávero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT195370960

Palavras-chave:

Carlos Rodrigues Brandão, Osmar Fávero, movimentos sociais, Educação Popular

Resumo

O texto versa sobre a Educação Popular no Brasil nos anos de 1960, atravessado por registros históricos do Movimento de Educação de Base (MEB). Caracteriza-se por esquadrinhar as memórias de Carlos Rodrigues Brandão e Osmar Fávero, vinculadas, por um lado, aos cenários políticos que antecederam o Golpe de 1964, seguidos da instauração da ditadura militar, e por outro, aos processos pedagógicos e metodológicos fundantes da Educação Popular. Os aportes da abordagem qualitativa orientaram a realização das duas entrevistas— via Google Meet, nos anos de 2021 e 2022, sobretudo a elaboração do roteiro no que se refere à constituição do MEB e dos Movimentos de Cultura Popular - MCP, à presença de Paulo Freire e das mulheres educadoras populares. As inconclusões descortinam a relevância dos movimentos sociais de alfabetização para adultos emergentes daquele período e as influências deles para a consolidação de movimentos de resistência que identificam, na Educação Popular, a interação entre as formas diferentes de aprender a realidade para transformá-la e contribuir para o desenvolvimento da criticidade dos sujeitos — individuais e coletivos e para a construção de justiça social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nima Imaculada Spigolon, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Professora (in) conclusão! Pós Doutorado, área: História da Educação (2022); Doutorado em Educação, área de concentração Ciências Sociais na Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2014). Mestrado em Educação, área de concentração: Políticas, Administração e Sistemas Educacionais, pela mesma Universidade (2009). Graduação em Pedagogia (2005) e Bacharelado em Administração (1992). Professora da Faculdade de Educação, na Universidade Estadual de Campinas. Credenciada no programa de Pós-Graduação em Educação (Acadêmico e Profissional). Coordenadora e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos (GEPEJA) da Faculdade de Educação da UNICAMP; Vice líder do Grupo de Pesquisa Educação, Feminismos e Amazônia - EduAmazônia, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e participante do Grupo de Estudos Literatura e Ditaduras (GELD) da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Membro Associado da ALB (Associação de Leitura do Brasil), da ANPED (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação) e da Associação Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa (AILPcsh); Membro da ABRESC (Academia Brasileira de Escritores), ALAMI ( Academia de Artes, Letras e Música de Ituiutaba); UTOPIA (União de Escritores da Língua Portuguesa); ACLEMOD (Associação de Cultura, Literatura e Educação de Quirinópolis). Atua principalmente com os temas de: Educação de Jovens e Adultos, Paulo Freire e Elza Freire, Formação de professores, Políticas Públicas, Ditadura e Exílio brasileiro.

Downloads

Publicado

14-04-2024

Como Citar

SILVA, C. F. da; SPIGOLON, N. I. Relicário de memórias - Educação Popular na década de 1960: Carlos Rodrigues Brandão e Osmar Fávero. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 19, n. 53, p. 81–106, 2024. DOI: 10.14393/RCT195370960. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/70960. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Trabalho de Campo e a Pesquisa Participante: a contribuição de Carlos Rodrigues Brandão