A “terra” como meio de subsistência:

uma comparação entre as quebradeiras de coco babaçu no norte do Tocantins, Brasil, e os camponeses do Distrito de Boane em Moçambique, no Sul da África

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT153917

Resumo

Esta pesquisa realiza um estudo comparativo entre as Quebradeiras de Coco Babaçu no Norte do estado do Tocantins, na Amazônia Legal e os camponeses do Distrito de Boane em Moçambique, situado no Sul da África. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que tem como finalidade conhecer os modos de vida e os meios de utilização da terra dessas duas comunidades. Em relação à metodologia utilizou – se a pesquisa bibliográfica e documental, assim como, entrevistas e registros fotográficos. Os moradores de ambas as áreas de estudo lutam e resistem para manter vivas suas tradições e modos de vida, frente à reprodução ampliada do capital sobre seus territórios por meio do trabalho coletivo, associações e cooperativas. O que vai de encontro a à visão de Chayanov (1975) ao afirmar que um dos meios de resistência e sobrevivência dos camponeses enquanto classe, é por intervenção do associativismo e cooperativismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2020

Como Citar

REINALDO, T. B. .; JALANE, O. I. A “terra” como meio de subsistência: : uma comparação entre as quebradeiras de coco babaçu no norte do Tocantins, Brasil, e os camponeses do Distrito de Boane em Moçambique, no Sul da África. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 15, n. 39 Dez., p. 312–332, 2020. DOI: 10.14393/RCT153917. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/60349. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Identidades, Territorialidades e Redes no Campo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)