A casa de sementes mãe Zenilda e o fortalecimento da agricultura ancestral Xukuru

Autores

  • Marli Gondim de Araújo Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal de Pernambuco https://orcid.org/0000-0003-3026-3007
  • Iran Neves Ordônio Agrônomo do Coletivo de Agricultura Xukuru Jupago Kreká

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT153905

Resumo

Os indígenas Xukuru vivem na Serra do Ororubá, municípios de Pesqueira e Poção, no agreste pernambucano. Segundo relatos de lideranças Xukuru, especialmente do Cacique Xikão, assassinado em 1998 pelos fazendeiros, Xukuru é nome de pássaro da mata; ororubá vem da árvore ubá e/ou ororubá. A junção dos dois nomes formou Xukuru do Ororubá, que significa o respeito do índio pela natureza. Os registros de contato com os colonizadores datam do século XVI, tendo no século XIX, os antepassados Xukuru recebido as terras por sua participação da Guerra do Paraguai. Desde então se sucederam lutas e conflitos entre Xukuru e invasores de suas terras, fazendeiros de gado (SILVA, 2008). Após muitas pelejas, os Xukuru sob a liderança de Xikão, iniciaram uma série de retomadas de seu território em fins da década de 1980, para só em 2001 conseguirem a titulação e demarcação definitiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-12-2020

Como Citar

ARAÚJO, M. G. de .; ORDÔNIO, I. N. . A casa de sementes mãe Zenilda e o fortalecimento da agricultura ancestral Xukuru. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 15, n. 39 Dez., p. 69–83, 2020. DOI: 10.14393/RCT153905. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/60275. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Políticas Públicas e Povos do Campo