A face feminina da pobreza no território meio Oeste Contestado, Santa Catarina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT164103

Resumo

No Brasil, as mulheres conquistaram igualdade jurídica a partir da Constituição de 1988. Nos últimos anos, políticas públicas estatais voltadas para grupos de maior vulnerabilidade social as têm trazido para a centralidade da gestão familiar. É a relação entre essas mulheres e as políticas públicas de enfrentamento à pobreza que este artigo analisa. A pesquisa de campo foi realizada na região Oeste de Santa Catarina, entre abril e maio de 2016. Selecionamos 10 municípios com base nos critérios de diversidade de contextos sociais, econômicos e demográficos e entrevistamos 40 famílias assistidas pelo Programa Bolsa Família e 10 profissionais da assistência social. Utilizamos como método de coleta de dados, entrevistas semiestruturadas. Os resultados da pesquisa indicam que na divisão do trabalho por gênero, as atividades domésticas e cuidados com os filhos ficam a cargo das mulheres e implicam no reforço da situação de pobreza, gerando privações em relação ao trabalho remunerado, uma vez que exigem presença constante nos domicílios. Outra situação de vulnerabilidade é a violência doméstica, que levou algumas mulheres a optarem pelo término do relacionamento afetivo, o que, na maioria dos casos, obrigou-as a arcarem sozinhas com o sustento dos filhos. Outras, temendo represálias, não efetuam denúncias aos órgãos competentes. As mulheres entrevistadas vivem uma maior vulnerabilidade em relação aos homens e embora as políticas públicas implementadas nas últimas décadas tenham melhorados suas condições de vida, não há ações específicas direcionadas à sua emancipação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia Tecchio, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas, Florianópolis, SC, Brasil.

Kety Carla de March , Universidade Estadual do Paraná

Universidade Estadual do Paraná (Unespar), Campus Paranaguá. Colegiado de História, Paranaguá, PR, Brasil.

 

 

 

 

 

Downloads

Publicado

06-08-2021

Como Citar

TECCHIO, A.; DE MARCH , K. C. . A face feminina da pobreza no território meio Oeste Contestado, Santa Catarina. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 16, n. 41 Ago., p. 43–68, 2021. DOI: 10.14393/RCT164103. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/59865. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)