Fronteira agrícola e ameaças às Unidades de Conservação no Cerrado

o caso do Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba

Autores

  • Karla Rosane Aguiar Oliveira Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT164017

Resumo

O Cerrado passa atualmente por uma intensa mudança de sua paisagem em função do avanço da fronteira agrícola. O modelo de desenvolvimento adotado pelo Brasil especialmente a partir dos anos 1960 incentivou a modernização conservadora da agricultura e promoveu o “pacto do agronegócio”, que se intensifica mediante um aparato ideológico articulado denominado agroestratégias. Este conjunto coordenado de ações busca influenciar políticas governamentais em prol do aumento em áreas para produção de commodities. As Unidades de Conservação no bioma Cerrado assumem um importante papel para a conservação da biodiversidade frente ao avanço da fronteira agrícola. Porém, as agroestratégias impõem ameaças a esses territórios, com a possibilidade de redução de limites territoriais, recategorização e diminuição do grau protetivo destas áreas. Este artigo tem como objetivo discutir as transformações territoriais oriundas da fronteira agrícola no Cerrado e da atuação das agroestratégias sobre os territórios destinados à conservação da biodiversidade, a partir do caso de desafetação do Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, situado na fronteira entre os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, e uma das regiões com maior produção agrícola do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Rosane Aguiar Oliveira, Universidade de Brasília (UnB)

Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina, Brasília, DF, Brasil.

Downloads

Publicado

29-06-2021

Como Citar

OLIVEIRA, K. R. A. . Fronteira agrícola e ameaças às Unidades de Conservação no Cerrado: o caso do Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 16, n. 40 Abr., p. 389–408, 2021. DOI: 10.14393/RCT164017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/58245. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos