As práticas dos movimentos sociais no uso e nas relações com a terra e o meio ambiente - o caso do CAPA e da ASSESOAR

Autores

  • Walter Roberto Marschner Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD
  • Tarcísio Vanderlinde UNIOESTE - Campus Mal. Cdo. Rondom

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT102128853

Palavras-chave:

ASSESSOAR, CAPA, Agroecologia, Agricultura familiar, Movimentos sociais

Resumo

Os movimentos ambientalistas passam a atuar no Brasil a partir da década de 1990, trazendo novas análises e novas práticas entre os movimentos sociais. No caso das organizações camponesas, a agroecologia surge como desafio que amplia o horizonte utópico das lutas sociais, complexificando as pautas e demandas. Por outro lado a questão ambiental insere-se nas transformações do capitalismo globalizado, sob o signo do desenvolvimento sustentável e/ou da economia verde, reformulando as bases de acumulação do capital, baseado agora em um novo metabolismo entre meios de produção e recursos naturais. Dá-se assim a ambiguidade da questão ambiental, presente nos mais variados discursos e visões de desenvolvimento com ampla veiculação na sociedade neste início de século. Os estudos de casos neste artigo, duas ONGs vinculadas à agricultura ecológica no Paraná - ASSESOAR e CAPA, além de sinalizarem novas configurações do uso e das relações com a terra, apontam também para as contradições e os desafios das questões ambientais para os movimentos sociais, notadamente a relação indissociável entre agroecologia e agricultura familiar. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walter Roberto Marschner, Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD

Possui graduação em Teologia pela Escola Superior de Teologia (1991), graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Palmas (1998) e doutorado em Sociologia -pela Universitat Hamburg - Alemanha (2005).

Tarcísio Vanderlinde, UNIOESTE - Campus Mal. Cdo. Rondom

Graduado em Geografia pela UPF (1980), especialista em Metodologia do Ensino Superior pela UFRGS (1982), especialista em Geografia pela UFPR(1988), especialista em História pela UNIOESTE (1991), mestre em História pela UFF(2002) e doutor em História pela UFF(2004). Pós-doutorado em Sociologia pela UFPR (2011).Docente Associado da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Atua no Programa de Pós-Graduação (Doutorado e Mestrado) Sociedade, Cultura e Fronteiras; Programa de Pós-Graduação(Mestrado em Geografia) Espaço de Fronteira; e Programa de Pós-Graduação (Desenvolvimento Rural Sustentável). Tem experiência nas áreas de Geografia e História, com ênfase em História e Geografia Agrária. Atua nos seguintes temas: agricultura familiar e camponesa, história, globalização, mediações, geografia e religiosidades, migrações, cultura, identidades e ambiente. 

Downloads

Publicado

31-03-2016

Como Citar

MARSCHNER, W. R.; VANDERLINDE, T. As práticas dos movimentos sociais no uso e nas relações com a terra e o meio ambiente - o caso do CAPA e da ASSESOAR . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 10, n. 21 Ago., p. 59–88, 2016. DOI: 10.14393/RCT102128853. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/28853. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos