O emergir de um novo território camponês nos domínios do latifúndio: o caso de São Gabriel - RS

Autores

  • Anderson Luiz Machado dos Santos Universidade Federal de Santa Maria Grupo de Pesquisa em Educação e Território

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT91924453

Palavras-chave:

MST, Campesinato, Transformações, Espaço, Território

Resumo

As transformações produzidas a partir da luta pela e na terra vivenciada por famílias organizadas no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no espaço rural de São Gabriel, município situado na fronteira oeste do Rio Grande do Sul-Brasil, são o objeto de análise deste artigo. A reflexão é conduzida a partir de uma perspectiva em que o espaço geográfico é considerado enquanto totalidade em movimento de relações e historicidade em transformação. Assim, foi possível compreender que, em decorrência de processos sociais, como a nova relação que as famílias estabelecem com a terra nos assentamentos conquistados, as relações de trabalho, a cultura política de organização e participação, bem como as diferentes estratégias traçadas para o desenvolvimento dos assentamentos, modificam-se as formas, as funções e a estrutura do espaço geográfico, num movimento de apropriação material e simbólica do espaço conquistado que resulta na construção de um novo território, o território dos camponeses-assentados. Palavras-chave: MST, campesinato, transformações, espaço, território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-10-2014

Como Citar

SANTOS, A. L. M. dos. O emergir de um novo território camponês nos domínios do latifúndio: o caso de São Gabriel - RS. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 9, n. 19 Out., p. 236–265, 2014. DOI: 10.14393/RCT91924453. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/24453. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)