Uso da terra e cobertura vegetal na bacia do Rio Paranaíba

Autores

  • Roberto Rosa Universidade Federal de Uberlândia
  • Edson Eyji Sano CPAC/EMBRAPA

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT91924277

Palavras-chave:

Uso da terra, Cobertura vegetal, Bacia do Rio Paranaíba, Sensoriamento remoto

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar os resultados do levantamento do uso da terra e cobertura vegetal natural, da bacia hidrográfica do Rio Paranaíba, realizado com o uso de imagens TM/Landsat 5 e MODIS/Terra. O mapa foi produzido por meio de técnicas de segmentação e interpretação visual em "tela", usando um mosaico elaborado com 19 cenas TM/Landsat na composição colorida 4R5G3B. Após a elaboração do mapa, foi possível quantificar os diferentes usos da bacia, onde se observa que a pastagem cultivada é o uso predominante, ocupando 41,1 % da área da bacia, seguida pela cobertura vegetal natural, com 29,4 % da área e, a agricultura com 27,2 %. As demais classes de uso ocupam um percentual reduzido (1,2 % de áreas urbanas e 1,1 % com corpos d'água), no entanto chama à atenção a cultura da cana-de-açúcar que tem crescido na bacia nos últimos anos e que em 2010 ocupava uma área de 3,4 % da bacia. As técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento utilizadas permitiram separar as áreas cultivadas com culturas anuais, das áreas ocupadas com pastagens, categorias de uso normalmente difíceis de serem separadas, especialmente na região dos cerrados, o que permitiu produzir um mapa com um índice de acerto de 81 %, conforme estatística Kappa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Rosa, Universidade Federal de Uberlândia

Dr. em Geografia Física Professor/Pesquisador do Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia

Edson Eyji Sano, CPAC/EMBRAPA

Doutor em Ciências do Solo Pesquisador do CPAC/EMBRAPA

Downloads

Publicado

30-10-2014

Como Citar

ROSA, R.; SANO, E. E. Uso da terra e cobertura vegetal na bacia do Rio Paranaíba. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 9, n. 19 Out., p. 32–56, 2014. DOI: 10.14393/RCT91924277. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/24277. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos