As novas terras do sem-fim: expansão capitalista e acumulação primitiva no Brasil rural

Autores

  • Wendell Ficher Teixeira Assis Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT91723150

Palavras-chave:

Fronteira agrícola, Agronegócio, Acumulação Primitiva

Resumo

O trabalho procura compreender as reconfigurações territoriais desencadeadas no meio rural brasileiro durante os anos 2000, sobretudo em virtude da ampliação dos monocultivos de cana direcionados a produção de agroenergia. Com base na ideia de que no interior do capitalismo há uma continuidade dos mecanismos de acumulação primitiva, sugere que o avanço da pecuária e do agronegócio de soja em direção à região Amazônica tem desencadeado processos de expropriação territorial que despojam comunidades camponesas e povos tradicionais. Por fim, analisa o discurso de disponibilidade de terras propalado pelo Governo Brasileiro no âmbito do Zoneamento Agroecológico da Cana contrapondo-o às tensões e conflitos que perpassam as demandas por reforma agrária e por reconhecimentos de territórios tradicionais. Para sustentar essas análises o artigo se vale de dados e observações empíricas coletadas durante a realização de três trabalhos de campo, dois em áreas de expansão da monocultura de cana, nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul, e, um no Oeste do Pará em zona marcada pelos conflitos de expansão da fronteira agrícola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wendell Ficher Teixeira Assis, Universidade Federal de Alagoas

Professor Adjunto do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas e pesquisador do Instituto de Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

06-05-2014

Como Citar

ASSIS, W. F. T. As novas terras do sem-fim: expansão capitalista e acumulação primitiva no Brasil rural. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 9, n. 17 Abr., p. 388–417, 2014. DOI: 10.14393/RCT91723150. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/23150. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos