O mundo vivido na comunidade dos Bagres no município de Vazante (MG) entre 1930 e 1980

Autores

  • Pedro Machado de Oliveira Universidade Federal de Uberlândia - UFU
  • Rosselvelt José Santos Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT71413749

Palavras-chave:

Comunidade dos Bagres, Camponeses, Mercado, Cultura

Resumo

O trabalho analisa, inicialmente, o modo de vida dos negros da comunidade dos Bagres, localizada no município de Vazante-MG, de forma que compreendêssemos como descendentes de escravos vieram a se tornar proprietários de terras. A propriedade da terra deu-lhes a condição de sedentários, não sendo necessários constantes deslocamentos em busca de terras cultiváveis. Tendo a terra como base de sua reprodução, os negros desenvolveram os seus meios de vida de acordo com as necessidades e possibilidades de seu tempo. A produção camponesa de subsistência na comunidade dos Bagres dava-se de acordo com a utilização da mão-de-obra familiar e com a eventual solidariedade de vizinhos na forma de mutirão; mas também de modo que se observassem os ciclos da natureza, que marcavam épocas de fartura na produção e épocas em que passavam por privações. O estado atual de intenso parcelamento das propriedades na comunidade dos Bagres mostra que a herança, como instituição contraditória, ao garantir o direito à terra aos herdeiros, promove a sua fragmentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Machado de Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Mestre em Geografia (UFU). Professor da Rede Estadual de Ensino de 1º e 2º graus.

Rosselvelt José Santos, Universidade Federal de Uberlândia

Professor Doutor do Instituto de Geografia

Downloads

Publicado

20-08-2012

Como Citar

OLIVEIRA, P. M. de; SANTOS, R. J. O mundo vivido na comunidade dos Bagres no município de Vazante (MG) entre 1930 e 1980 . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 7, n. 14 Ago., 2012. DOI: 10.14393/RCT71413749. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/13749. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos