Organização socioeconômica e o papel do Estado na configuração territorial do Sertão nordestino

Autores

  • Silvana Lúcia da Silva Lima Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT4711891

Palavras-chave:

Produção capitalista do espaço, Reestruturação do espaço rural, Luta de classe, Contradição capital-trabalho, Movimentos sociais

Resumo

Este artigo é um fragmento de uma tese de doutorado e tem por objetivo recuperar e analisar alguns elementos teóricos para o entendimento do processo de (re)configuração territorial no mundo rural nordestino. Parte-se do pressuposto de que a mobilidade do capital e a territorialização dos movimentos sociais no campo são condicionantes centrais deste processo onde, uma análise articulada destes processos permite uma leitura da complexa realidade do mundo rural brasileiro. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica associada à análise das entrevistas e a observação de campo. As diferentes condições produtivas observadas refletem o nível de investimentos tecnológicos, a unidade dialética seleção-exclusão dos espaços e produtores rurais, mas, acima de tudo, evidenciam as contradições inerentes ao desenvolvimento do modo de produção capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana Lúcia da Silva Lima, Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL

Mestra em Geografia pela UECE e Doutora em Geografia pela UFS. Atualmente é professora contratada da UNEAL, coordena o projeto de extensão em Educação Ambiental e presta serviço de assessoria técnica aos assentamentos rurais em Alagoas.

Downloads

Publicado

28-01-2009

Como Citar

LIMA, S. L. da S. Organização socioeconômica e o papel do Estado na configuração territorial do Sertão nordestino . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 4, n. 7 Fev., p. 140–166, 2009. DOI: 10.14393/RCT4711891. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/11891. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos