Conflitos agrários e a agroindústria canavieira em Castilho-SP

Autores

  • Dóri Edson Lopes Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT3511841

Palavras-chave:

Estrutura agrária, Territorialização, Conflitos, Reforma agrária, Capital agroindustrial

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo de caso do município de Castilho-SP com relação aos problemas gerados pela desigual formação de sua estrutura fundiária e as consequências sociais que isso trouxe. E para que se pudesse entender melhor o problema foi feito um breve relato histórico da questão agrária brasileira e sua injusta distribuição de terras. Diante disso é importante analisar as contradições do sistema e os fatores de mudança que daí surgem, e o que nasceu desse processo onde muitos não têm nada e poucos têm muito foram as insatisfações populares, juntamente a elas as reivindicações por uma melhor distribuição da terra no campo. Assim, é dentro desta perspectiva de luta que analisamos os conflitos agrários no Município de Castilho-SP e seus resultados na reconstrução do território. Considera-se também neste estudo o atual avanço do capital agroindustrial e as novas formas de exploração da renda da terra que começam a surgir no território castilhense, onde grandes extensões da superfície passam a ser ocupadas pela monocultura canavieira. Ao mesmo tempo surgem novos desafios e dificuldades aos movimentos sociais que reivindicam a reforma agrária neste local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dóri Edson Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Graduado em Licenciatura e Bacharelado em Geografia UFMS/CPTL

Downloads

Publicado

07-02-2008

Como Citar

LOPES, D. E. Conflitos agrários e a agroindústria canavieira em Castilho-SP . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 3, n. 5 Fev., p. 93–112, 2008. DOI: 10.14393/RCT3511841. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/11841. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos