DETERMINAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL DE OLINDA, PERNAMBUCO - BRASIL: UM SUBSÍDIO À GESTÃO FLORESTAL URBANA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG238960170

Palavras-chave:

Floresta urbana, Sistema de Informações Geográficas, Índice espacial de vegetação

Resumo

A expansão urbana sem planejamento adequado promoveu uma série de efeitos nocivos para a população das cidades, tanto ambiental quanto socialmente. Contudo, cada vez mais a vegetação vem sendo associada à qualidade de vida, devido aos comprovados benefícios que ela promove no ambiente urbano. Esta pesquisa objetivou classificar a cobertura vegetal de Olinda - Pernambuco, visando a quantificar sua floresta urbana. Para isso, utilizou-se uma imagem do satélite SENTINEL-2 com resolução espacial de 10 metros, para a classificação do uso do solo do município. Por meio do software QGIS 2.14.11, identificaram-se as classes de infraestrutura urbana, água, solo exposto, vegetação e nuvem, por meio da classificação supervisionada MaxVer, posteriormente divididas por regiões político administrativas para o mapeamento, sendo assim determinados e quantificados os índices de cobertura vegetal da cidade. A quantidade de vegetação nas regiões se mostrou variável, mas foram insatisfatórias para promover benefícios ambientais à população, com exceção da Zona Rural, local onde há maior quantitativo de vegetação da cidade. Observou-se que Olinda é uma cidade com déficit de cobertura vegetal, sendo possível perceber que o município carece de áreas vegetadas, bem como arborização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-10-2022

Como Citar

LOPES, I. J. C. .; LIMA NETO, E.; PESSOA, M. M. de L.; REIS, A. R. N. dos; RIBAS, E. C.; SILVA, A. F. da; PEREIRA DE OLIVEIRA, C.; SANTOS, N. Ádler T. dos. DETERMINAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL DE OLINDA, PERNAMBUCO - BRASIL: UM SUBSÍDIO À GESTÃO FLORESTAL URBANA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 23, n. 89, p. 77–91, 2022. DOI: 10.14393/RCG238960170. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/60170. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos