CARTOGRAFIA E DIREITOS HUMANOS NA ESCOLA PÚBLICA – NOVAS PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA NA UEG - UnU ITAPURANGA(GO)

Autores

  • Ana Carolina de Oliveira Marques Universidade Estadual de Goiás, Curso de Geografia, Itapuranga, GO, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG0058512

Palavras-chave:

Justiça social, Educação Geográfica, Formação de professores.

Resumo

Partimos do pressuposto de Miguel Arroyo: a escola pública tem o dever ético-político-pedagógico de oferecer aos “trabalhadores que estudam” as condições de se entenderem vítimas das injustiças sociais que lhes roubam a humanidade, forjando-lhes sujeitos sem direito a ter direitos. Este é um dos princípios balizadores da formação de professores em Geografia na Universidade Estadual de Goiás, Unidade Itapuranga (Goiás). A oficina “Cartografia e Direitos Humanos” realizada em uma das escolas-campo – a Escola Estadual Zico Coelho – sintetiza o esforço em formar professores com princípios político-pedagógicos sensíveis aos “itinerários humanos” dos educandos; às múltiplas violências das quais são vítimas; aos seus cotidianos enquanto trabalhadores/as – inclusive na infância; aos saberes adquiridos nas experiências radicais de vida. A oficina fora conduzida por estagiários do 6º período de licenciatura. Apresentamos, neste texto, todo o percurso dos estagiários desde a preparação teórico-conceitual, a definição da metodologia e os resultados da intervenção pedagógica. Esperamos que as reflexões compartilhadas agreguem às pedagogias afirmativas do vínculo radical entre educação geográfica, formação de professores e justiça social.    

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

17-12-2020

Como Citar

Marques, A. C. de O. . (2020). CARTOGRAFIA E DIREITOS HUMANOS NA ESCOLA PÚBLICA – NOVAS PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA NA UEG - UnU ITAPURANGA(GO). Caminhos De Geografia, 210–221. https://doi.org/10.14393/RCG0058512