NEM MORTE MATADA, NEM MORTE MORRIDA: CONSIDERAÇÕES SOBRE O CONCEITO DE REGIÃO NA GEOGRAFIA

Autores

  • Bruno Ferreira Soares Universidades Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228456594

Palavras-chave:

Correntes do pensamento geográfico, Regionalização, Articulação regional

Resumo

Embora não seja exclusivo da geografia, o conceito de região é um dos elementos-chave desta ciência. Em virtude da polissemia que o envolve e do próprio processo de evolução da ciência geográfica, este conceito está constantemente sendo repensado e redefinido, atravessando momentos em que sua importância é reconhecida em maior ou menor grau, de acordo com a corrente de pensamento geográfico prevalecente. Este artigo propõe-se a refletir em torno do conceito de região a partir da necessidade de tentar responder aos dilemas da complexidade socioespacial contemporânea. Para tanto, utiliza-se como metodologia a revisão literária de diferentes autores dedicados ao tema. Como resultado, destaca-se que o conceito permanece relevante para a ciência geográfica, desde que sejam consideradas as novas formas de articulação regional e os reflexos decorrentes destas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2021

Como Citar

SOARES, B. F. NEM MORTE MATADA, NEM MORTE MORRIDA: CONSIDERAÇÕES SOBRE O CONCEITO DE REGIÃO NA GEOGRAFIA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 84, p. 75–87, 2021. DOI: 10.14393/RCG228456594. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/56594. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos