PROCESSOS PEDOGENÉTICOS E SUSCEPTIBILIDADE DOS SOLOS À DEGRADAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Autores

  • Rodrigo Santana Macedo Instituto Nacional do Semiárido
  • Raphael Moreira Beirigo Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Beatriz Macêdo Medeiros Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Victor Junior Lima Felix Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Renato Francisco da Silva Souza Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Alexandre Pereira de Bakker Instituto Nacional do Semiárido

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228155397

Palavras-chave:

Caatinga, Propriedades dos solos, Antrossolização, Desertificação

Resumo

As relações dos processos pedogenéticos específicos e a susceptibilidade dos solos à degradação no semiárido nordestino ainda não foram satisfatoriamente esclarecidas. Esse entendimento pode subsidiar intervenções e políticas públicas que atenuem e/ou revertam à degradação dos solos. O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a relação entre processos pedogenéticos específicos e a susceptibilidade dos solos a degradação/desertificação nas microrregiões do Seridó e Cariri. Foram atualizadas as classes de solos das unidades de mapeamento (UM) dos estados da Paraíba e Rio Grande do Norte. Essas novas UM foram sobrepostas com áreas fortemente degradadas (AFD). Áreas degradadas estão predominantemente associadas com Luvissolos Háplicos Pálicos abrúpticos e Neossolos Litólicos Eutróficos típicos e fragmentários no Seridó e com Luvissolos Crômicos Órticos típicos e vertissólicos no Cariri. O predomínio da agropecuária na maioria das AFD confirma a forte pressão antrópica sobre o meio ambiente. A mudança textural abrupta aumenta a susceptibilidade dos Luvissolos e Planossolos à degradação. Antrossolização pode acelerar a erosão, salinização, sodificação e solodização. Como consequência tem-se perdas de solos, de sua qualidade física e assoreamento de corpos hídricos. As relações entre processos pedogenéticos e degradação das terras são compreendidas com a avaliação dos solos em níveis categóricos mais elevados (subgrupo).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Santana Macedo, Instituto Nacional do Semiárido

Instituto Nacional do Semiárido, Campina Grande, PB, Brasil

Raphael Moreira Beirigo, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Solos e Engenharia Rural, Areia, PB, Brasil

Beatriz Macêdo Medeiros, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Lages, SC, Brasil.

Victor Junior Lima Felix, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Departamento de Solos e Engenharia Rural, Areia, PB, Brasil

Renato Francisco da Silva Souza, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Departamento de Solos e Engenharia Rural, Areia, PB, Brasil

Alexandre Pereira de Bakker, Instituto Nacional do Semiárido

Instituto Nacional do Semiárido, Campina Grande, PB, Brasil

Downloads

Publicado

01-06-2021

Como Citar

MACEDO, R. S.; BEIRIGO, R. M.; MEDEIROS, B. M.; FELIX, V. J. L. .; SOUZA, R. F. da S. .; BAKKER, A. P. de. PROCESSOS PEDOGENÉTICOS E SUSCEPTIBILIDADE DOS SOLOS À DEGRADAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 22, n. 81, p. 176–195, 2021. DOI: 10.14393/RCG228155397. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/55397. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos