QUE VENHAM OS IMIGRANTES! CRISE POLÍTICA E QUESTÃO IMIGRATÓRIA EM MINAS GERAIS E RIO DE JANEIRO NO ALVORECER DA REPÚBLICA

Autores

  • Maria Isabel de Jesus Chrysostomo Programa de Pós-Graduação em Geografia (UFV)
  • Higor Mozart Geraldo Santos Universidade Federal Fluminense (doutorando) e Universidade Estadual de Minas Gerais (professor)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228155246

Palavras-chave:

Política imigratória, Discursos geográficos, Minas Gerais, Rio de Janeiro

Resumo

Discutimos como o clima de instabilidade política, incitado pela crise da lavoura e ascensão política de São Paulo, mobilizou discursos de autoridades fluminenses e mineiras em fins dos oitocentos. Com o intuito de promover a imigração e potencializar os “dons” presentes em suas unidades federativas, os argumentos arrolados assumiram tom geopolítico ao entrelaçar política, território e natureza. A imigração estrangeira converte-se, nesse jogo de representações, em importante arma empunhada para resgatar o prestígio político dos respectivos estados e promover o seu desenvolvimento econômico. Em um primeiro momento, realçamos o papel político das migrações no começo da República com objetivo de assinalar seus efeitos espaciais. Na esteira, problematizamos como Minas Gerais e Rio de Janeiro forjavam representações espaciais, via discurso regional e local, com o intento de atrair imigrantes estrangeiros. Ao final, sublinhamos, de forma comparativa, as principais estratégias territoriais das elites mineiras e fluminenses para superar a alegada crise em seus respectivos estados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Isabel de Jesus Chrysostomo, Programa de Pós-Graduação em Geografia (UFV)

Programa de Pós-Graduação em Geografia, Viçosa/MG.

Higor Mozart Geraldo Santos, Universidade Federal Fluminense (doutorando) e Universidade Estadual de Minas Gerais (professor)

Licenciado e bacharel em Geografia pela Universidade Federal de Viçosa (2012/2013). Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2016). Estudante de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense. Vice coordenador do GEHOCITE - Laboratório de Geografia Histórica das Cidades e Territórios, do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Viçosa. Professor Substituto do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Viçosa. No período de 2010 a 2012 participou do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, tendo a oportunidade de aprender e compartilhar experiências com educandos e professores de duas escolas públicas da cidade de Viçosa (MG). Foi bolsista de iniciação científica, entre 2012 a 2013, no projeto de pesquisa Imigração estrangeira nos confins da Zona da Mata Mineira (1850-1870): entre civilização dos sertões e controle do território, com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas (APQ01380-11). No ano de 2013, participou do projeto de pesquisa Imigração estrangeira nos confins da Zona da Mata Mineira (1840s-1910): entre civilização dos sertões e controle do território, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tem interesse principalmente pelos estudos relacionados ao Ensino de Geografia; Geografia Histórica; Imigração; Imaginário Geográfico e Ideologias Geográficas. 

Downloads

Publicado

01-06-2021

Como Citar

Chrysostomo, M. I. de J. ., & Santos, H. M. G. . (2021). QUE VENHAM OS IMIGRANTES! CRISE POLÍTICA E QUESTÃO IMIGRATÓRIA EM MINAS GERAIS E RIO DE JANEIRO NO ALVORECER DA REPÚBLICA. Caminhos De Geografia, 22(81), 127–149. https://doi.org/10.14393/RCG228155246

Edição

Seção

Artigos