O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO BAIANO E SEUS IMPACTOS DEMOGRÁFICOS E OCUPACIONAIS NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA-BA

Autores

  • Gesner Brehmer de Araújo Silva Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
  • José Raimundo Oliveira Lima Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG228054604

Palavras-chave:

Industrialização baiana, Impactos demográficos em Feira de Santana, Impactos ocupacionais em Feira de Santana

Resumo

Iniciado formalmente nos anos 1950 com a instalação do Centro Industrial do Aratu em Salvador, o processo de industrialização do estado da Bahia trouxe profundas transformações tanto na estrutura produtiva, quanto econômica no estado. Feira de Santana como segunda maior cidade do estado, não passou inócua a esse processo com a instalação do Centro Industrial do Subaé (CIS) na década de 1970. O propósito deste artigo é de analisar os impactos desse processo de industrialização no município de Feira de Santana sobre duas óticas: a demográfica e a ocupacional através de dados disponíveis no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como resultados obtidos, inferiu-se que após o processo de industrialização baiano e a instalação do CIS, há uma mudança demográfica no município que passa a concentrar maior população urbana e ocupacional no qual os setores industriais e de serviços passam a empregar uma maior força de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gesner Brehmer de Araújo Silva, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Mestrando em Planejamento Territorial.

José Raimundo Oliveira Lima, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Docente do Departamento de Ciências Sociais e Aplicadas(DCIS) e  do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial.

Downloads

Publicado

05-04-2021

Como Citar

Silva, G. B. de A. ., & Oliveira Lima, J. R. (2021). O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO BAIANO E SEUS IMPACTOS DEMOGRÁFICOS E OCUPACIONAIS NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA-BA. Caminhos De Geografia, 22(80), 68–80. https://doi.org/10.14393/RCG228054604

Edição

Seção

Artigos