CIDADES FRAGMENTADAS NA AMAZÔNIA: A SEGREGAÇÃO RESIDENCIAL ESPONTÂNEA EM BOA VISTA – RORAIMA – BRASIL

Autores

  • Jefferson Silva de Souza Universidade Federal de Roraima
  • Artur Rosa Filho Universidade Federal de Roraima

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG207242897

Palavras-chave:

Dinâmica imobiliária, Segregação residencial espontânea, Condomínios horizontais fechados, Boa Vista e entorno

Resumo

A segregação residencial espontânea reflete-se através de diversas ações promovidas por intermédio dos chamados “promotores imobiliários”, aos quais são denominados de agentes produtores do espaço urbano. Assim, o recorte espacial deste estudo consiste em uma área que abrange parte dos bairros: Cauamé, Caçari, Cidade Satélite, além de parte das BR-401 e RR-205 em Boa Vista. Neste sentido, a pesquisa teve como objetivo compreender o processo de segregação residencial espontânea, a partir da implementação de condomínios horizontais fechados em Boa Vista-RR e entorno. Em relação à metodologia, os passos estabelecidos para que se atingisse o objetivo proposto foram: levantamento bibliográfico, pesquisa documental, além de visitas in loco. Concebeu-se que os condomínios horizontais fechados impulsionam mais ainda este modelo de segregação supracitado, já que o poder de aquisição das classes sociais mais abastadas lhes permitem residir em modelos de moradia de alto padrão com os seus semelhantes sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2019

Como Citar

Souza, J. S. de, & Rosa Filho, A. (2019). CIDADES FRAGMENTADAS NA AMAZÔNIA: A SEGREGAÇÃO RESIDENCIAL ESPONTÂNEA EM BOA VISTA – RORAIMA – BRASIL. Caminhos De Geografia, 20(72), 217–229. https://doi.org/10.14393/RCG207242897

Edição

Seção

Artigos