“NÃO É POR R$ 0,20, É POR DIREITOS”: DINÂMICAS DE INSURGÊNCIA NAS JORNADAS DE JUNHO DE 2013 NO BRASIL

Autores

  • Gustavo Souza Santos Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIPMoc) e Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
  • Maria das Graças Campolina Cunha Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG206941006

Palavras-chave:

Jornadas de Junho., Insurgência., Espaço., Movimentos Sociais

Resumo

Em 2013, protestos de iniciativa do Movimento Passe Livre contra o aumento da tarifa de transporte público na cidade de São Paulo tornaram-se o estopim para a eclosão de manifestações sistêmicas por todos os estados brasileiros. As vozes eram polissêmicas e vocalizavam por demandas sociais diversas, fazendo do mês de junho uma odisseia de insurgência: as jornadas de junho. Este estudo analisa as dinâmicas insurgentes das jornadas de 2013 no Brasil, considerando a espacialização de suas práticas sociopolíticas. A pesquisa se apoia na análise documental do conteúdo noticioso dos três jornais de maior circulação (Folha de S. P., O Globo e Estadão) no período (2012/2013), conforme auditoria do Instituto Verificador da Comunicação (IVC). Há ainda a análise de publicações de usuários no Twitter, selecionados sob as hashtags de engajamento ao movimento (#vemprarua e #ogiganteacordou), como aporte à informação jornalística. A mobilização de junho de 2013 pode ser compreendida a partir de uma dupla dinâmica: socioespacial, com a retomada e apropriação do espaço público como exercício cidadão e político; insurgente, na medida em que a renovação das relações espaciais com um foco de protesto, desencadeia um processo onde o sujeito e espaço em sinergia tornam-se vetores da própria comunicação de insurgência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Souza Santos, Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIPMoc) e Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Docente das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIPMoc). Doutorando em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), onde é mestre em Geografia (Unimontes). Pesquisador do CEAD/Unimontes.

Maria das Graças Campolina Cunha, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Docente do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Downloads

Publicado

08-07-2019

Como Citar

SANTOS, G. S.; CUNHA, M. das G. C. “NÃO É POR R$ 0,20, É POR DIREITOS”: DINÂMICAS DE INSURGÊNCIA NAS JORNADAS DE JUNHO DE 2013 NO BRASIL . Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 20, n. 69, p. 94–110, 2019. DOI: 10.14393/RCG206941006. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/41006. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos