O AGRONEGÓCIO DE GRÃOS E AS INTENCIONALIDADES CAPITALISTAS E CAMPONESAS NOS CERRADOS DE ENTRE RIBEIROS - PARACATU/MG

Autores

  • Rosselvelt José Santos Universidade Federal de Uberlândia
  • Pedro Machado Oliveira Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG196701

Palavras-chave:

Assentados. Camponeses. Colonos. Capitalistas.

Resumo

O texto tem como objetivo analisar os múltiplos usos dos Cerrados no Entre Ribeiros, no município de Paracatu-MG pelos sujeitos sociais encontrados no lugar: os camponeses e os colonos.    No lugar, a pecuária praticada extensivamente até a década de 1980 cedeu espaço aos grãos, metamorfoseando-se novamente na virada do milênio com a apropriação parcial de seus solos para o cultivo da cana. Contudo, a lógica da reprodução do capital, hegemônica, mas não absoluta, coexiste com outras lógicas sociais vinculadas aos modos de vida dos assentados do Projeto de Assentamento Santa Rosa. A reprodução dos capitais investidos no agronegócio de grãos e as intencionalidades camponesas são analisadas a partir da instalação de novas estruturas, como os laticínios, as cooperativas e os bancos, inserindo no lugar, novos nexos com o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22-10-2018

Como Citar

Santos, R. J., & Oliveira, P. M. (2018). O AGRONEGÓCIO DE GRÃOS E AS INTENCIONALIDADES CAPITALISTAS E CAMPONESAS NOS CERRADOS DE ENTRE RIBEIROS - PARACATU/MG. Caminhos De Geografia, 19(67), 1–15. https://doi.org/10.14393/RCG196701

Edição

Seção

Artigos