PLANEJAMENTO URBANO E MÚLTIPLAS TERRITORIALIDADES: A RESISTÊNCIA DO CAMPECHE (FLORIANÓPOLIS-SC) NA ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR

Autores

  • Luis Felipe Cunha Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG196505

Palavras-chave:

conflitos territoriais, relações de poder, participação popular, autonomia, autogestão.

Resumo

O planejamento urbano da planície do Campeche, ao sul do município de Florianópolis-SC, vem demarcando, desde o final da década de 1980, um conflito entre as organizações populares locais e o Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis. Muito embora os sucessivos planos da prefeitura não tenham sido totalmente implementados, o conflito referente às densidades de ocupação e ao tipo de desenvolvimento urbano permaneceu ao longo dos anos, com novas estratégias, sendo elaboradas por parte dos atores envolvidos, as quais adentram a discussão recente da elaboração do Plano Diretor Participativo de Florianópolis. Neste artigo, busca-se melhor compreender este conflito que envolve a organização popular do Campeche e a prefeitura de Florianópolis na discussão do Plano Diretor, a partir dos conceitos de território e territorialidade. Foram revistas fontes, documentos, atas públicas, artigos, e trabalhos acadêmicos consultados na dissertação de mestrado e em parte da elaboração da Tese de doutorado deste autor. Como resultados obtidos, apontam-se alguns dos questionamentos e reflexões sobre as contribuições da "lente" territorial, para o estudo deste caso e de outros semelhantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Felipe Cunha, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando no Departamento de Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina; Desenvolvimento Regional e Urbano; Organização territoriali, redes e políticas públicas; Planejamento Urbano.

Downloads

Publicado

18-05-2018

Como Citar

CUNHA, L. F. PLANEJAMENTO URBANO E MÚLTIPLAS TERRITORIALIDADES: A RESISTÊNCIA DO CAMPECHE (FLORIANÓPOLIS-SC) NA ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 19, n. 65, p. 56–68, 2018. DOI: 10.14393/RCG196505. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/37098. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos