ILHAS DE CALOR E SIMULAÇÕES: PERSPECTIVAS CLIMÁTICAS AO REORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG186103

Palavras-chave:

Clima urbano, Campo térmico, Modelagem, Planejamento urbano.

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi de simular diferentes configurações do ambiente urbano para identificar os fatores que podem minimizar a ilha de calor urbana (ICU) em Iporá - Goiás. Para tanto, foi utilizada regressão linear múltipla para definir a melhor equação e as melhores variáveis geourbanas para modelar a ilha de calor urbana, em seguida, modificou-se o valor do normalized difference vegetation index (NDVI), simulando diferentes configurações. Os resultados evidenciaram que: 1 - com o aumento do NDVI as ICU foram diminuindo gradativamente, áreas próximas ao córrego Tamanduá apresentaram ICU negativa, também conhecida como ilha de frescor, de -4°C para as simulações com NDVI aumentado em 80% e 100%; 2 - em algumas áreas da cidade houve pouco decréscimo na intensidade da ilha de calor, devido a pouca ou nenhuma arborização, portanto, mesmo com o aumento de 100% do NDVI, este seria muito baixo, insuficiente para minimizar significativamente a ICU; 3 - com o aumento do NDVI na área core da ilha de calor máxima houve uma diminuição significativa de sua intensidade e também do seu tamanho (redução de 45% da área). Não obstante, ressalta-se que estas simulações têm caráter prognóstico, o que possibilita ao planejador, analisar diferentes configurações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elis Dener Lima Alves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano

Graduado em Geografia. Mestre em Física Ambiental. Doutor em Ciências.

Downloads

Publicado

31-03-2017

Como Citar

ALVES, E. D. L. ILHAS DE CALOR E SIMULAÇÕES: PERSPECTIVAS CLIMÁTICAS AO REORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 18, n. 61, p. 33–43, 2017. DOI: 10.14393/RCG186103. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/33737. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos