AVALIAÇÃO DA DEGRADAÇÃO DE UMA ÁREA DA USINA DE BALBINA COMO SUBSÍDIO PARA RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL, NA AMAZÔNIA

Autores

  • Flávio Brazão Escobar Universidade Federal do Amazonas - Aluno de Mestrado
  • Júlio César Rodríguez Tello Universidade Federal do Amazonas - Professor Titular do departamento de Ciências Florestais.
  • Renata Lima Pimentel

Palavras-chave:

Erosão, Processos Erosivos

Resumo

Neste trabalho caracterizou-se os processos erosivos de uma área degradada denominada "colônia", localizada em área de influência da Hidrelétrica de Balbina no município de Presidente Figueiredo no estado do Amazonas. O colônia é uma área de empréstimo que na época da construção da Usina, foi explorada como fonte de material para construção civil, no local também encontram-se outras áreas de empréstimo, chamados de: Alalau, Areal da curva, Barro amarelo e caixa d'agua. A metodologia empregada foi análise exploratória em campo, juntamente com registro fotográficos das modalidades erosivas existentes e uso de Sistema de Informação Geográfica (Arcgis 10) para mapeamento e geração do banco de dados. A partir dos resultados, foi identificado que a área possui alto nível de degradação, com presença de erosões do tipo sulcos e voçorocas em estágio de evolução, que se não forem contidas por projeto de recuperação, os processos de deposição podem se agravar, ocasionando assoreamento dos corpos d'água adjacentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21-06-2017

Como Citar

ESCOBAR, F. B.; TELLO, J. C. R.; PIMENTEL, R. L. AVALIAÇÃO DA DEGRADAÇÃO DE UMA ÁREA DA USINA DE BALBINA COMO SUBSÍDIO PARA RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL, NA AMAZÔNIA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 18, n. 62, p. 01–12, 2017. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/33275. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos