O PLANEJAMENTO DOS PARQUES NO MUNICÍPIO DE CURITIBA, PR: PLANEJAMENTO SISTEMÁTICO OU PLANEJAMENTO BASEADO EM UM MODELO OPORTUNISTA?

Autores

  • Alexandre T Buccheri Filho Universidade Federal do Paraná

Palavras-chave:

Parques, Planejamento da Paisagem, Verde Urbano

Resumo

A importância dos espaços de uso público, livres de edificação e com vegetação (EUPLEVs) nas cidades é cada vez mais reconhecida no que se refere à qualidade de vida e qualidade ambiental, sendo que em muitos países, estes espaços são considerados parte integrante nas decisões de planejamento quanto ao uso e parcelamento do solo. Pretendeu-se investigar como a Prefeitura do Município de Curitiba considerou os parques (tipo de espaço livre), no planejamento urbano, verificando qual modelo de planejamento foi utilizado para a criação desses espaços. Concluiu-se que em sua grande maioria os parques se enquadram no "modelo oportunista" de planejamento, o qual utiliza possibilidades e/ou oportunidades de instalação de espaços livres, com base em acomodações e aproveitamento de circunstâncias para se chegar mais facilmente a algum resultado, e não como conseqüência de um planejamento sistemático, ou ainda outra variante desse modelo, chamado de SLOPE (Space left over after planning), o qual representa espaços deixados após o parcelamento do solo, aproveitando parcelas residuais de terras que foram deixadas após o planejamento e alocação de todos os outros usos, para a criação de espaços livres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

09-04-2012

Como Citar

Buccheri Filho, A. T. (2012). O PLANEJAMENTO DOS PARQUES NO MUNICÍPIO DE CURITIBA, PR: PLANEJAMENTO SISTEMÁTICO OU PLANEJAMENTO BASEADO EM UM MODELO OPORTUNISTA?. Caminhos De Geografia, 13(41). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16584

Edição

Seção

Artigos