A CIDADE ENQUANTO UM ESPAÇO DESIGUAL: O CASO DE GUARAPUAVA - PR

Autores

  • Lisandro Pezzi Schmidt Departamento e Programa de Pós-graduação em Geografia, Unicentro
  • Carlos Roberto Loboda Curso de Geografia, Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP)

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG123916556

Palavras-chave:

Produção do espaço urbano, Cidade média, Estruturação urbana

Resumo

As constantes redefinições no processo de produção do espaço urbano são denotadoras de um processo desigual, geralmente atrelado aos interesses políticos, fundiários e imobiliários, acentuando cada vez mais as diferenças socioespaciais, compartimentando a cidade entre áreas melhor equipadas (centrais) em detrimento de outras marcadas pela precariedade das condições de vida (periféricas). O poder público municipal confere ao espaço sentido e conteúdo, intermediando a produção diferenciada, fragmentando a cidade e ampliando a diferença de apropriação do espaço pelos diferentes grupos. Desse modo, o trabalho analisa Guarapuava, considerando o processo de produção enquanto funcionalista as pretensões da formação de uma cidade média, enfatizando suas contradições e considerando a cidade como um espaço convergente dos mais variados processos, interesses e ordens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-09-2011

Como Citar

SCHMIDT, L. P.; LOBODA, C. R. A CIDADE ENQUANTO UM ESPAÇO DESIGUAL: O CASO DE GUARAPUAVA - PR. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 12, n. 39, p. 21–30, 2011. DOI: 10.14393/RCG123916556. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16556. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos