MAPEAMENTO TEMPORAL DOS ͍NDICES: ÁREA DE SUPERF͍CIE IMPERMEÁVEL E ESCOAMENTO SUPERFICIAL DA ÁREA URBANIZADA DE CAMPO GRANDE - MS

Autores

  • Lorena Avelina Rojas Gutierrez UFSCar
  • Gustavo Ferreira de Souza UFSCar
  • Gabriel Pereira INPE
  • Antônio Conceição Paranhos Filho UFMS
  • Gilson Arimura Arima UCDB
  • Ademir Paceli Barbassa UFSCar

Palavras-chave:

Área de Superfície Impermeável, Satélite Landsat, Sensoriamento Remoto

Resumo

Esta pesquisa trata de uma investigação quantitativa da impermeabilidade do solo urbano de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, frente ao crescimento urbano e à problemática das enchentes, com o objetivo de gerar índices ambientais e analisar a expansão da área urbanizada utilizando sensoriamento remoto. Para acompanhar o comportamento evolutivo da área de estudo com relação aos aspectos ambientais foi realizada uma análise temporal dos índices NVDI (Normalized Difference Vegetation Index), ISA (Imperveous Surface Area) e Escoamento Superficial em um banco de dados sistematizado no programa SPRING 4.3.3, onde delimitou-se o perímetro urbanizado com imagens do satélite Landsat 5, sensor TM, órbita 225, ponto 074, de 20 de abril de 1984 e 2007. Com os resultados da classificação supervisionada manual do uso do solo constatou-se um crescimento de 90% da área urbanizada da cidade entre 1984 e 2007, enquanto que os índices indicaram um aumento das áreas impermeáveis e do escoamento superficial, variando entre 75 e 100% nas áreas que houve expansão e um aumento entre 10 e 15% nas áreas em que a cidade já era urbanizada em 1984 - alterações significativas que implicam em uma maior probabilidade de enchentes em caso de eventos extremos de precipitação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena Avelina Rojas Gutierrez, UFSCar

Engenheira Sanitarista e Ambiental pela Universidade Católica Dom Bosco, Mestranda em Engenharia Urbana pela Universidade Federal de São Carlos.

Gustavo Ferreira de Souza, UFSCar

Geógrafo pela Universidade Católica Dom Bosco, Especialista em Planejamento e Gestão Ambiental com ênfase em Avaliação Ambiental Estratégia pela Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, Mestrando em Engenharia Urbana pela Universidade Federal de São Carlos.

Gabriel Pereira, INPE

Geógrafo pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Mestre em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Doutorando em Sensoriamento Remoto pelo INPE/USP.

Antônio Conceição Paranhos Filho, UFMS

Geólogo (UFPR), Mestre e Doutor em Geologia Ambiental (UFPR), Professor Doutor do Departamento de Hidráulica e Transportes da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Laboratório de Geoprocessamento para Aplicações Ambientais.

Gilson Arimura Arima, UCDB

Engenheiro Civil (UFMS), Doutor em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental (IPH/UFRGS), Professor Doutor do Curso de Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Ademir Paceli Barbassa, UFSCar

Engenheiro Civil (UFMG), Mestre e Doutor em Hidráulica e Saneamnto (EESC/USP), Professor Doutor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Downloads

Publicado

06-04-2011

Como Citar

Gutierrez, L. A. R., Souza, G. F. de, Pereira, G., Paranhos Filho, A. C., Arima, G. A., & Barbassa, A. P. (2011). MAPEAMENTO TEMPORAL DOS ͍NDICES: ÁREA DE SUPERF͍CIE IMPERMEÁVEL E ESCOAMENTO SUPERFICIAL DA ÁREA URBANIZADA DE CAMPO GRANDE - MS. Caminhos De Geografia, 12(37). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16403

Edição

Seção

Artigos