QUALIDADE DE VIDA E ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS DO SETOR OESTE DA CIDADE DE UBERLÂNDIA/MG

Autores

  • Bárbara Beatriz da Silva Nunes
  • Rildo Aparecido Costa

Palavras-chave:

Planejamento da Paisagem, Praças, Qualidade de Vida, Espaços Livres

Resumo

A urbanização brasileira ocorreu rápida e desordenadamente, o que resultou em problemas socioambientais que afetam a qualidade de vida da população, principalmente no que diz respeito a espaços livres públicos. O objetivo principal dessa pesquisa foi realizar um levantamento das 23 praças do Setor Oeste de Uberlândia-MG, as quais foram analisadas quanto a sua área e a qualidade dos recursos presentes (grama, vegetação arbórea, infra-estrutura, equipamentos esportivos e acessibilidade). Os dados coletados foram agrupados em três categorias (terrenos baldios, canteiros ou rotatórias e praças), no entanto houve um caso de uma área que seria destinada para ser instalada uma área verde e houve a construção de uma igreja e de instituições municipais com outros fins. Em todas as categorias foi observado que não havia uma manutenção regular das praças por parte da prefeitura, o que pode ser evidenciado pela presença de pragas (cupins e formigas) em seis praças, nem da população, uma vez que esta foi observada em apenas uma. Os terrenos baldios estão em situação calamitosa, já que além de não receberem os devidos cuidados com sua manutenção, os moradores os utilizam como depósito de lixo, o que pode gerar conseqüências à saúde da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-01-2011

Como Citar

Nunes, B. B. da S., & Costa, R. A. (2011). QUALIDADE DE VIDA E ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS DO SETOR OESTE DA CIDADE DE UBERLÂNDIA/MG. Caminhos De Geografia, 11(36). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/16401

Edição

Seção

Artigos