EVOLUÇÃO DAS DESIGUALDADES REGIONAIS NO RIO GRANDE DO SUL: ESPAÇO AGRÁRIO, IMIGRAÇÃO E ESTRUTURA FUNDIÁRIA

Autores

  • Flamarion Dutra Alves Doutorado em Geografia - UNESP Rio Claro
  • Vicente Celestino Pires Silveira Centro de Ciências Rurais da UFSM

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG92615806

Palavras-chave:

Desigualdades regionais, Estrutura fundiária, Imigração, Economia

Resumo

Este artigo analisa as desigualdades regionais no Rio Grande do Sul através do processo de colonização e ocupação territorial, que delimitou a formação agrária gaúcha e as diferentes estruturas fundiárias no estado. A evolução populacional gaúcha está diretamente ligada ao processo de imigração, primeiramente, nas regiões fronteiriças do Uruguai e Argentina, estabelecendo os latifúndios e as atividades pecuárias extensivas, em seguida, os imigrantes alemães e italianos, que se territorializaram em pequenos lotes de terra e nas regiões dos vales na porção nordeste, centro e norte do Rio Grande do Sul. Essa construção do espaço gaúcho gerou uma divisão socioeconômica entre metade sul e metade norte, onde a primeira concentra as grandes propriedades e atividades econômicas pouco dinâmicas e a segunda há o predomínio de pequenas e médias propriedades, com grandes centros urbanos e atividades econômicas mais dinâmicas. Palavras-chaves: Desigualdades regionais, Estrutura fundiária, Imigração, Economia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flamarion Dutra Alves, Doutorado em Geografia - UNESP Rio Claro

Geógrafo pela Universidade Federal de Santa Maria, Mestre em Extensão Rural na Universidade Federal de Santa Maria e, atualmente cursando o Doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista, campus de Rio Claro.

Vicente Celestino Pires Silveira, Centro de Ciências Rurais da UFSM

Prof. Dr. Centro de Ciências Rurais da UFSM vicentesilveira@smail.ufsm.br

Downloads

Publicado

04-06-2008

Como Citar

ALVES, F. D.; SILVEIRA, V. C. P. EVOLUÇÃO DAS DESIGUALDADES REGIONAIS NO RIO GRANDE DO SUL: ESPAÇO AGRÁRIO, IMIGRAÇÃO E ESTRUTURA FUNDIÁRIA. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 9, n. 26, p. 1–15, 2008. DOI: 10.14393/RCG92615806. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15806. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos