O TERRITÓRIO E AS POSSIBILIDADES DA LEITURA GEOGRÁFICA DO SISTEMA DO CAPITAL: QUESTIONAMENTOS ACERCA DA SUBSUNÇÃO DO TRABALHO CAMPONÊS

Autores

  • Wagnervalter Dutra Júnior Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG102915803

Palavras-chave:

espaço agrário, território, trabalho camponês, questão agrária, movimentos sociais no campo

Resumo

O presente artigo discute as possibilidades de leitura crítica do espaço estabelecida a partir da mediação da contradição capital x trabalho nos termos da expressão espacial da luta de classes e dos conflitos que são produzidos pela sociedade produtora de mercadorias (o reino do trabalho abstrato). A partir de tal perspectiva pensar a respeito da produção do espaço agrário significa considerar as contradições inerentes à produção da vida material no sistema do capital. O território emerge como elemento central no processo de compreensão das contradições do modo de produção capitalista, tendo em vista que a apropriação privada caracteriza a formação do mesmo, colocando-se como vetor de afirmação da propriedade privada e do trabalho abstrato concomitantemente, sem tal processo não haveria possibilidade de reprodução ampliada do capital. O território se põe como mediação na compreensão da questão agrária - social e do espaço agrário, e a "forma" de valorização do/no espaço pressupõe que existem limites e possibilidades para a compreensão e a ação dos movimentos sociais no campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagnervalter Dutra Júnior, Universidade do Estado da Bahia

Mestrando em Geografia pela UFS
Prof. Visitante UNEB – Campus VI Caetité - BA

Downloads

Publicado

15-03-2009

Como Citar

DUTRA JÚNIOR, W. O TERRITÓRIO E AS POSSIBILIDADES DA LEITURA GEOGRÁFICA DO SISTEMA DO CAPITAL: QUESTIONAMENTOS ACERCA DA SUBSUNÇÃO DO TRABALHO CAMPONÊS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 10, n. 29, p. 183–186, 2009. DOI: 10.14393/RCG102915803. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15803. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos