Método de avaliação quantitativa da formação de solos como ferramenta para o ensino da ciência do solo

Autores

  • Ana Maria Souza dos Santos Moreau Profa. Universidade Estadual de Santa Cruz
  • João Carlos Ker Prof. Dr. da Universidade Federal de Viçosa

Resumo

O entendimento dos fatores e processos de formação do solo, bem como, a interpretação dos atributos resultantes da sua gênese reveste-se, muitas vezes, em tarefa árdua tanto para o professor quanto ao aluno. MARSHALL & HASEMAN (1942), sugeriram um método que se baseia na determinação quantitativa de cada camada do perfil do solo, utilizando um mineral resistente e imóvel, devendo este estar presente na fração grosseira do solo (SUDOM & ARNOUD, 1971). Assim, a referida metodologia permite a mensuração do desenvolvimento dos solos, podendo ser utilizada como ferramenta no ensino da gênese dos solos tropicais. Para tal, foram selecionados dois perfis de solo, sendo os mesmos desenvolvidos de diferentes materiais de origem. Os solos selecionados pertencem as seguintes classes: Argissolo Amarelo (desenvolvido do Grupo Barreiras nos tabuleiros costeiros) e Latossolo Vermelho (originado do produto de alteração de Charnoquitos e Enderbitos pertencentes à Unidade Monte Verde, datando do Pré-Cambriano). Os resultados demonstraram que nos solos de tabuleiro, as transformações que ocasionam a formação de argilominerais são ínfimas e, a sílica, proveniente do intemperismo dos mesmos sofre perdas laterais no perfil, enquanto que no Latossolo Vermelho distrófico, o acréscimo no peso atual da fração argila foi 45 vezes maior que no Argissolo Amarelo, sendo atribuído a intemperização dos minerais primários e formação das argilas. Portanto trata-se de um sistema mais aberto, sujeito a perdas de bases e sílica pelas águas de drenagem, favorecendo a formação de minerais secundários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Souza dos Santos Moreau, Profa. Universidade Estadual de Santa Cruz

Possui graduação em Agronomia pela Escola de Agronomia da Ufba (1991), mestrado em Geoquímica e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Bahia (1995) e doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (2001). Atualmente é professora Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Gênese, Morfologia e Classificação dos Solos, atuando principalmente nos seguintes temas: bacia hidrográfica, uso da terra, solos dos tabuleiros costeiros, análise ambiental e uso da terra.

Downloads

Publicado

14-12-2007

Como Citar

Moreau, A. M. S. dos S., & Ker, J. . C. (2007). Método de avaliação quantitativa da formação de solos como ferramenta para o ensino da ciência do solo. Caminhos De Geografia, 8(24). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15720

Edição

Seção

Artigos