EXPLORAÇÃO MINERAL NA PORÇÃO NORTE DO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA: O CASO DE CRUZEIRO DOS PEIXOTOS

Autores

  • Thalita Mendes Resende Universidade Federal de Uberlândia
  • Miriã Fernandes Morais Universidade Federal de Uberlândia
  • Patrícia Prado Pacheco Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG82315699

Palavras-chave:

exploração mineral, licenciamento ambiental, impactos ambientais

Resumo

A pesquisa foi desenvolvida no distrito de Cruzeiro dos Peixotos, localizado na intersecção das coordenadas -18°43’36” e -48°22’6”, porção norte do Município de Uberlândia - MG. Apresentou como objetivo principal compreender os processos de explorações minerais legais e ilegais no distrito, buscando desmistificar o senso comum, no qual acredita que apenas grandes áreas necessitam de licenciamento ambiental. Entretanto, as extrações de argila, areia, cascalho e rochas em áreas de pequeno porte, também são denominadas atividade de explotação mineral, e consideradas altamente impactantes ao meio ambiente, sendo portanto, passíveis de licenciamento ambiental. Diante disso, a primeira etapa para a realização da pesquisa, constituiu-se numa pesquisa bibliográfica, com o intuito de conhecer os processos para legalizar áreas de exploração mineral e as características físicas do distrito. Em campo, foi possível verificar a existência de áreas de exploração geradoras de grandes impactos ambientais negativos, entre eles estão a retirada da camada de solo, destruição de áreas de preservação permanente, alterações dos cursos d'água. Contudo, a atividade mineral não pode ser extinta, pois seus produtos são de suma importância para as indústrias de base, que se utilizam desses bens minerais para produzir seus produtos finais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19-10-2007

Como Citar

RESENDE, T. M.; MORAIS, M. F.; PACHECO, P. P. EXPLORAÇÃO MINERAL NA PORÇÃO NORTE DO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA: O CASO DE CRUZEIRO DOS PEIXOTOS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 8, n. 23, p. 140–146, 2007. DOI: 10.14393/RCG82315699. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15699. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos