DISPONIBILIDADE HIDRICA E VOLUME DE ÁGUA OUTORGADO NA MICRO-BACIA DO RIBEIRÃO ABÓBORA, MUNICÍPIO DE RIO VERDE, ESTADO DE GOIÁS

Autores

  • Abilene Vieira Garcia Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV
  • Elaine Cristina Alves de Oliveira Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV
  • Glicélia Pereira Silva Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV
  • Priscilla Pires da Costa Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV
  • Luiz Antonio de Oliveira Professor Assistente do Curso de Geografia da Universidade Federal de Uberlândi

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG82215555

Palavras-chave:

Água, Rio Verde, Micro-bacia do Ribeirão Abóbora, Q95, outorga

Resumo

O objetivo principal deste trabalho é avaliar a situação atual, bem como estabelecer projeções futuras com relação à demanda e a oferta de água na Micro-bacia do Ribeirão Abóbora, Rio Verde/GO, Brasil. Na cidade de Rio Verde, 83% do total de água distribuída à população pelo sistema público de abastecimento provém de captação superficial, sendo que os 13% restantes correspondem à exploração de água subterrânea. O Ribeirão Abóbora é a principal fonte de fornecimento de água para a população, sendo utilizada também no processo produtivo da Perdigão Industrial e abastecimento das propriedades rurais. No estado de Goiás o coeficiente utilizado para cálculo do volume máximo de água a ser outorgado é o índice Q95, ou seja, a vazão com garantia de permanência em 95% (noventa e cinco por cento) do tempo. Considerando ainda que a soma das vazões outorgadas na bacia, à montante do ponto requerido para captação não poderá exceder a 70% da vazão de referência definida pelo Q95. Desta forma, definido o valor de Q95 = 1,5 m3/s, o volume que poderá que poderá ser outorgado será: 1,5* 70 = 1,05 m3/s. Relacionando o volume de 440 l/s, referente às captações da Perdigão Industrial (120 l/s) e o suprimento de água para a população (320 l/s) e não levando-se em conta as captações das propriedades rurais, com o valor do Q95, não há risco de escassez de água, não havendo portanto, situações de conflito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Abilene Vieira Garcia, Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV

Aluna de PIBIC do Curso de Ciências Biológicas da FESURV - Universidade de Rio Verde.

Elaine Cristina Alves de Oliveira, Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV

Aluna de PIBIC do Curso de Ciências Biológicas da FESURV - Universidade de Rio Verde.

Glicélia Pereira Silva, Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV

Aluna de PIBIC do Curso de Ciências Biológicas da FESURV - Universidade de Rio Verde.

Priscilla Pires da Costa, Aluna de PIBIC de Ciências Biológicas da FESURV

Aluna de PIBIC do Curso de Ciências Biológicas da FESURV - Universidade de Rio Verde.

Luiz Antonio de Oliveira, Professor Assistente do Curso de Geografia da Universidade Federal de Uberlândi

Professor Assistente do Curso de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia. Mestre e Doutorando em Geologia pela Universidade de Brasilia. Linhas de Pesquisa: Meio Ambiente e Geoprocessamento

Downloads

Publicado

22-09-2007

Como Citar

GARCIA, A. V.; OLIVEIRA, E. C. A. de; SILVA, G. P.; COSTA, P. P. da; OLIVEIRA, L. A. de. DISPONIBILIDADE HIDRICA E VOLUME DE ÁGUA OUTORGADO NA MICRO-BACIA DO RIBEIRÃO ABÓBORA, MUNICÍPIO DE RIO VERDE, ESTADO DE GOIÁS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 8, n. 22, p. 97–106, 2007. DOI: 10.14393/RCG82215555. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15555. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos