GEOLOGIA E PALEONTOLOGIA DE VERTEBRADOS DA FORMAÇÃO MARÍLIA (NEOMAASTRICHTIANO) NO SÍTIO PALEONTOLÓGICO DE PEIRÓPOLIS

Autores

  • Carlos Roberto dos Anjos Candeiro Doutorando em Geologia (Paleontologia e Estratigrafia) pelo Dep. de Geologia - U

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG61615453

Palavras-chave:

Minas Gerais, Triângulo Mineiro, fauna, Neocretáceo, Brasil

Resumo

Estudos geológicos e paleontológicos foram desenvolvidos na sucessão bem estratificada da Formação Marília (Neomaastrichtiano), que aflora no Sítio Paleontológico de Peirópolis, localizado 20km a leste da cidade de Uberaba, no Estado de Minas Gerais. Essa formação é composta por rochas calcárias e areníticas, encontradas nos membros Serra da Galga e Ponte Alta. A deposição dos sedimentos ficou restrita, no Membro Ponte Alta, a ambientes formados, provavelmente, em lagos e as camadas do Membro Serra da Galga a ambientes fluvio-lacustres. A Formação Marília contém uma das mais ricas e representativas assembléias de vertebrados fósseis do Cretáceo Superior do Brasil, fosseis esses representados por peixes, sapo, lagarto, tartarugas, crocodilianos e dinossauros (saurópodes e terópodes).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-10-2005

Como Citar

CANDEIRO, C. R. dos A. GEOLOGIA E PALEONTOLOGIA DE VERTEBRADOS DA FORMAÇÃO MARÍLIA (NEOMAASTRICHTIANO) NO SÍTIO PALEONTOLÓGICO DE PEIRÓPOLIS. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 6, n. 16, p. 117–124, 2005. DOI: 10.14393/RCG61615453. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15453. Acesso em: 20 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos