ESTATUTO DA CIDADE: CIDADE DE TODOS “NÓS”, CIDADE DE MUITOS “NÓS”

Autores

  • Antonio Fernandes Graduado em geografia pela Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG61615448

Palavras-chave:

Planejamento Regional, Planejamento Urbano, Geografia Urbana

Resumo

O mundo hoje é essencialmente urbano e a grande maioria de seus habitantes vive em cidades. Nos século XIX e XX vivenciamos em todo o mundo um acelerado e irreversível movimento de pessoas que saíram do campo e foram para as cidades. Agricultores e camponeses foram expulsos do campo, principalmente pela modernização da agricultura e pela industrialização, fazendo com que muitas destas cidades crescessem sem nenhum planejamento urbano, gerando inúmeros problemas e dificuldades para as mesmas. A cidade é um lugar repleto de contradições, ou seja, cada um de seus habitantes usufrui seu espaço de uma forma diferente e nem sempre digna. Os que possuem condições têm acesso a boas escolas, a lazer, a transporte, moradia digna e a tudo aquilo que a cidade oferece. Outros, no entanto, por não possuírem as condições sócio-econômicas necessárias, ficam à margem da cidade. Utilizam pouco dos benefícios dela. Há alguns que praticamente de nada usufruem. Portanto, a nossa participação efetiva na escolha dos representantes e na fiscalização da aplicabilidade do Plano Diretor e do Estatuto da Cidade pode fazer a diferença entre conquistar uma cidade, cujos benefícios sociais cheguem a muitos ou uma cidade excludente onde os benefícios são aplicados em função de poucos. Palavras Chave: Planejamento Regional, Planejamento Urbano, Geografia Urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

28-10-2005

Como Citar

FERNANDES, A. ESTATUTO DA CIDADE: CIDADE DE TODOS “NÓS”, CIDADE DE MUITOS “NÓS”. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 6, n. 16, p. 72–82, 2005. DOI: 10.14393/RCG61615448. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15448. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos