A UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA O MAPEAMENTO DE ÁREAS DE REFORMA AGRÁRIA NO SUDOESTE GAÚCHO

Autores

  • Roberto Barboza Castanho Doutorando em Geografia - UFU, Bolsista CAPES
  • Jorge Luís Silva Brito Prof. Dr. do Instituto de Geografia - UFU
  • Marcelo Cervo Chelotti Doutorando em Geografia - UFU, Bolsista FAPEMIG

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG71815422

Palavras-chave:

Geoprocessamento, Assentamentos Rurais, Sudoeste Gaúcho

Resumo

As técnicas de geoprocessamento vem se destacando nos últimos anos em relação a sua utilização para a espacialização de elementos do espaço geográfico, sejam eles naturais ou humanos. Neste contexto, o presente artigo aborda a utilização do geoprocessamento no mapeamento de dados de reforma agrária na região Sudoeste do estado do Rio Grande do Sul, tendo como base, dados do INCRA, FEE e do GRACRS, propiciando uma visualização da situação dos municípios que compõem essa área. Assim, utilizou-se um software de geoprocessamento, que partir da malha disponível pelo IBGE, permitiu elaborar um banco de dados, e realizar alguns cruzamentos de informações, possibilitando a elaboração das análises com base nos mapas gerados. Nesse sentido, os resultados obtidos foram satisfatórios, comprovando mais uma vez a eficácia do geoprocessamento em relação a estudos desse nível, o que possibilita aos usuários um produto final coerente e de acordo com a realidade espacial da área a qual esta se estudando, nesse caso, o Sudoeste Gaúcho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-06-2006

Como Citar

CASTANHO, R. B.; BRITO, J. L. S.; CHELOTTI, M. C. A UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA O MAPEAMENTO DE ÁREAS DE REFORMA AGRÁRIA NO SUDOESTE GAÚCHO . Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 7, n. 18, p. 110–122, 2006. DOI: 10.14393/RCG71815422. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15422. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos