GEOGRAFIA DO DENGUE EM UBERLÂNDIA (MG) NA EPIDEMIA DE 1999

Autores

  • Almerinda dos Santos Pós-Graduação em Ecologia e Conservação dos Recursos Naturais - UFU
  • Oswaldo Marçal Junior Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCG51115324

Palavras-chave:

Geografia de doenças, doença transmitida por vetor, ecologia de Paisagem, geografia urbana

Resumo

A forma como homem se organiza no espaço pode produzir efeitos negativos para sua saúde. Este trabalho foi empreendido para avaliar a distribuição geográfica de febre de dengue na municipalidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais, tendo como referência a incidência do ano de 1999. O zoneamento da área de estudo foi realizado por meio de uma análise gráfica da área urbana (mapemaneto). A divisão da cidade correspondeu à nova distribuição de bairros integrados. Cada setor incluiu dez unidades de bairros. Foram calculadas as taxas de incidência para cada setor, por sexos e grupos de idade. Foram aplicados métodos estatísticos não-paramétricos aos dados (p < 0.05). A transmissão foi significativamente diferente no espaço (χ2=9.98; p=0.0408). A incidência não diferiu de acordo com sexo nos setores, mas variou para o sexo feminino (X² = 9.57; p = 0.0483). Houve diferença significante no grupo de 0 para 9 anos de idade (grupo menos infetado) entre os setores (X² = 11,84: p = 0,00186) e os índices mais altos ocorreram nos setores Norte e Oeste e para o grupo de 20 a 29 anos de idade. Concluímos que a incidência do Dengue não é homogênea na área estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-02-2004

Como Citar

SANTOS, A. dos; MARÇAL JUNIOR, O. GEOGRAFIA DO DENGUE EM UBERLÂNDIA (MG) NA EPIDEMIA DE 1999. Caminhos de Geografia, Uberlândia, MG, v. 5, n. 11, p. 35–52, 2004. DOI: 10.14393/RCG51115324. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/15324. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos