ESPÉCIES DE Cryptosporidium QUE INFECTAM BOVINOS: CARACTERÍSTICAS ETIOLÓGICAS E EPIDEMIOLÓGICAS

Autores

  • Melissa Carvalho Machado do Couto UFRRJ Pós-Doutoranda, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Teresa Cristina Bergamo do Bomfim Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Veterinária Departamento de Parasitologia Br. 465 / Km 07 CEP: 23.890-000

Palavras-chave:

, Cryptosporidium, bovinos, contaminação ambiental, zoonose

Resumo

O trabalho aborda a criptosporidiose bovina além de apresentar um panorama geral das espécies que acometem este hospedeiro a importância em saúde pública e na produção animal. A criptosporidiose em bovinos pode acometer várias faixas etárias, podendo ou não apresentar sintomatologia clínica e geralmente ocasionando perdas econômicas. As espécies comumente diagnosticadas em bovinos são Cryptosporidium parvum, C. bovis, C. andersoni e C. ryanae. Sendo que a espécie Cryptosporidium parvum tem a capacidade de infectar outros mamíferos inclusive humanos. Os bovinos desempenham papel importante na cadeia epidemiológica da doença, são capazes de eliminar grandes quantidades de oocistos durante o período patente, dispersando a forma infectante do protozoário no ambiente. Diversos estudos epidemiológicos consideram que a contaminação ambiental por Cryptosporidium parvum é uma das principais fontes de infecção para animais e humanos. Os bovinos são considerados como os principais hospedeiros responsáveis pela criptosporidiose zoonótica. O contato com bezerros infectados por Cryptosporidium parvum é a principal causa de surtos de criptosporidiose em humanos. A presença de subtipos zoonóticas de C. parvum em amostras fecais de bovinos tem sido estudada por meio de ferramentas moleculares em todo o mundo, o que ajuda a desvendar o papel dos bovinos na cadeia epidemiológica da criptosporidiose humana. No Brasil, são escassos os trabalhos relacionados a criptosporidiose em bovinos, sendo de fundamental importância a realização desses estudos para avaliar o potencial zoonótico de Cryptosporidium existentes no país e os riscos que poderiam acarretar a população humana e animal assim como também ao meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Teresa Cristina Bergamo do Bomfim, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Veterinária Departamento de Parasitologia Br. 465 / Km 07 CEP: 23.890-000

Possui graduação em Medicina Veterinária e Zootecnia, ambos concluídos pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Doutorado e Mestrado em Ciências Veterinárias (Parasitologia Veterinária) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Pós-Doutorado no Centers for Disease Control and Prevention (CDC), Center for Global Health (CGH), Division of Parasitic Diseases and Malaria (DPDM), Atlanta, Georgia, EUA. Ex docente, categoria Adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG, onde lecionou disciplinas e orientou alunos de graduação na área de saúde humana. Atualmente é professor Associado IV do Departamento de Parasitologia Animal da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Leciona disciplinas e orienta alunos de Graduação e Pós-Graduação em Ciências Veterinárias (CPGCV) da UFRRJ (Mestrado e Doutorado). Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Protozoologia Animal e Humana, Protozoários Emergentes e Reemergentes, Zoonoses Causadas por Protozoários, atuando principalmente nos seguintes temas: Cryptosporidium, Giardia, Blastocystis, Amebas e Parasitoses Gastrointestinais. Relacionando os aspectos de Biologia, Epidemiologia, Diagnóstico, Caracterização Morfologia, Caracterização Molecular e Relação Parasito Hospedeiro.

Downloads

Publicado

2013-11-11

Como Citar

Couto, M. C. M. do, & Bomfim, T. C. B. do. (2013). ESPÉCIES DE Cryptosporidium QUE INFECTAM BOVINOS: CARACTERÍSTICAS ETIOLÓGICAS E EPIDEMIOLÓGICAS. Veterinária Notícias, 18(2). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/vetnot/article/view/23197